Edison Brittes, suspeito de assassinar Daniel, meia do São Paulo, foi preso na manhã desta quinta-feira em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. A prisão aconteceu em sua casa. A mulher e a filha de Edison também foram detidas, por suspeitas de envolvimento no crime.

De acordo com o advogado, Claudio Dalledone, que defende o suspeito, a prisão é temporária e valem por 30 dias. Ele também disse que Edison teria flagrado o jogador tentando estuprar sua esposa dentro de sua casa. A família foi encaminhada para a delegacia de São José dos Pinhais.

Ainda segundo Dalledone, Edison teria agido “em defesa da família dele” e que “a vítima teria se infiltrado entre a família e os amigos que estavam em uma comemoração em uma balada e seguido, sem ser convidado, para a sequência desta celebração, na casa da família”, informou o site Massa News.

O corpo do jogador Daniel foi encontrado morto no último sábado, em uma plantação de pinos, em São José dos Pinhais. A Polícia já confirmou que armas brancas foram usadas no crime.

Daniel pertencia ao São Paulo e estava emprestado para o São Bento (SP). O meio-campista surgiu nas categorias de base do Cruzeiro. Antes de se tornar profissional, reforçou o Botafogo em 2013, no qual teve espaço na equipe principal e se destacou no ano seguinte. Em dezembro de 2014, chegou a conversar com o Palmeiras, mas foi reprovado nos exames médicos e acabou contratado pelo São Paulo.

Fonte: Terra