A Polícia Federal  prendeu neste sábado (5) dentro do estádio Mané Garrincha o barra brava argentino Pablo “Bebote” Alvarez. Ele estava assistindo ao jogo Argentina x Bélgica disfarçado com os cabelos pintados de verde, uma camisa do Flamengo e ainda com um óculos com bigodes falsos. Na semana passada, “Bebote”, que estava proibido de entrar no país, entrou no jogo contra a Suíça e depois postou fotos em redes sociais zombando da polícia brasileira e argentina.

De acordo com a PF, “Bebote” foi identificado por um policial argentino do CCPI (Centro de Cooperação Policial Internacional) da Copa dentro do estádio. Uma equipe de policiais foi ao local e o prendeu. Houve alguma confusão na hora da detenção pois o barra brava estava acompanhado por outros torcedores argentinos, mas o princípio de tumulto foi controlado e “Bebote” levado para a Superintendência da Polícia Federal em Brasília.

Por volta das 16h, o barra brava ainda prestava depoimento na PF. De acordo com o Ministério da Justiça, a princípio “Bebote” será liberado e terá 72 horas para deixar o Brasil espontaneamente. Apesar disso, a pasta da Justiça informa que ainda é averiguado se ele é suspeito de algum crime no Brasil, o que permitira sua deportação para a Argentina. Além dele, a PF possui uma lista com mais dez nomes de líderes barras que conseguiram entrar no Brasil apesar de estarem proibidos

“Bebote” é líder da torcida organizada do clube argentino Independiente e das HUA (Hinchadas Unidas Argentinas, que une organizadas para torcer pela seleção), que é considerado um dos barras bravas — como são conhecidos os torcedores de organizadas do pais vizinho famosos por casos de violência contra outros torcidas, dentro e fora de estádios — mais perigosos da Argentina.

O barra estava oficialmente proibido de entrar no Brasil durante a Copa — seu nome consta em uma lista com cerca de 2.000 nomes de barras bravas compartilhada pela PF argentina com a brasileira — mas conseguiu burlar a fiscalização na fronteira do Rio Grande do Sul e está no país desde a primeira fase do Mundial. “Bebote” já foi a pelo menos dois jogos da Argentina — a partida contra a Nigéria no Beira-Rio, em Porto Alegre, pela primeira fase do Mundial no dia 25, e a sofrida classificação por um a zero contra a Suíça nas oitavas, no dia 1, no Itaquerão, em São Paulo.

Mais que isso, ele tira sarro das polícias brasileira e argentina nas redes sociais. “Agradeço aos que me confiaram os ingressos para o jogo de hoje. Conseguimos essas entradas para celebrar: Bebote 2 x 0 Polícia Federal Argentina”, comemorou ele por meio de uma rede social após a vitória contra a Suíça. Na mesma ocasião, postou uma foto “fantasiado de suíço”, que foi como conseguiu entrar no Itaquerão sem ser notado.

Fonte: UOL