Em assembleia geral nesta quinta-feira na sede da CBF, uma série de mudanças foram aprovadas para o estatuto. Uma delas, pelo menos na teoria, dá mais poder aos clubes, já que tira do texto a permissão da entidade de vetar qualquer decisão do conselho técnico. No meio dessa votação, porém, o presidente Marco Polo Del Nero ouviu uma dica do presidente da federação carioca: não dar muito espaço aos times.

Rubens Lopes vive um conflito com Flamengo e Fluminense, com relações cortadas desde o estadual, quando o confronto ficou escancarado.

Segundo depoimento dos que participaram da reunião no Rio de Janeiro, Rubinho, como é chamado entre os cartolas, pediu a palavra e fez um breve discurso sobre o assunto.

Disse que achava que Del Nero não podia dar muitas permissões aos clubes, que tentariam conseguir mais e mais vantagens a cada dia, tentando tomar conta da administração do futebol. Falou ainda que poder não se divide, mas sim que se exerce.

“Ele fez uma intervenção dizer que poder não se divide, mas que poder se exerce. Ele tava falando também de uma proposta que havia para aumentar o número de clubes no processo eleitoral, deixando as federações em menor número”, confirmou Antônio Américo, presidente da federação do Maranhão, perguntado pela reportagem.

O presidente da Ferj não chegou a votar contra a proposta da retirada do veto no estatuto, mas fez questão de deixar claro que não estava satisfeito com a decisão.

Nesse início de ano, Fla e Flu tiveram uma série de divergências com a entidade, tendo até processo judicial correndo por causa das brigas protagonizadas. Os dois consideram que há um excesso de poder por parte de Rubens Lopes, que se defende e ataca ambos.

Na assembleia, apenas as 27 federações podem participar, bem como o restante da diretoria, com os cinco vices-presidentes eleitos.

Procurado, o presidente da Ferj não atendeu nem retornou as ligações da reportagem.

Fonte: ESPN.com.br