Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

25/04/21 às 00:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Macaé
MAC

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

1

X

0

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Presidente: ‘O Botafogo não tem elenco para frequentar a zona de rebaixamento’

0 comentários

Compartilhe

O presidente falou da situação atual do clube com o Ato Trabalhista, Proforte e Refis da crise que o Botafogo passou a aderir.

“O Refis, não só o Botafogo, mas todas as empresas têm, de aderir ao refinanciamento de dívidas com o governo. Alguns clubes de futebol fizeram isso também. A diretoria fez um grande esforço, pois tem que pagar uma entrada de cinco parcelas no valor aproximado de R$ 10 milhões a entrada. Conseguimos fazer o primeiro pagamento da parcela e fazer o mesmo esforço para pagar o resto das parcelas. Se o Profortes sair, pode ir para a lei de responsabilidade do esporte, o Refis dá hoje a possibilidade de tentar o desbloqueio das contas. O Departamento Jurídico fez o primeiro pagamento, vai à justica e pede o desbloqueio, cabe a eles darem ou não. Com relacao ao Ato Trabalhista, continuamos tentando, a expectativa é que tenhamos notícias boas. Eu só deixei de pagar imposto porque não tinha dinheiro. ”

Em relação a ajuda dos ilustres torcedores botafoguenses ajudando a pagar financeiramente os salários e direitos de imagem dos jogadores, Maurício Assumpção diz que tem duas opiniões, positiva e negativa, sobre o assunto.

“Eu acho que têm dois aspectos. Primeiro como presidente não gostaria que isso estivesse acontecendo, que o próprio estivesse arcando com os compromissos. Com os jogos fora do Rio, a diretoria conseguiu pagar os direitos de imagem aos jogadores e PJ aos funcionários de futebol que estavam há quase 4 meses sem receber. Mas, como torcedor fico feliz por saber que o clube tem pessoas que entendem a situação e podem a ajudar.”

Após a greve feita pelos jogadores, o presidente se afastou do futebol, colocando o Wilson Gottardo para fazer a ligação entre os jogadores e presidência.

“Eu continuo vindo ao clube, tenho que trabalhar, a diretoria continua correndo atrás de receitas para honrar os compromissos até o final do ano. Mas, quando contratei o Gottardo, eu disse que não ia mais no futebol, essa é uma questão que ele resolveria e que fizesse esse meio campo entre diretoria e jogadores. Eu continuava indo aos treinos, comparecendo nos jogos, mas depois do episódio da greve eu resolvi me afastar.

Maurício foi perguntado sobre os seis anos na presidência do Botafogo e preferiu não responder, pois ainda não chegou ao fim.

“Esse é um fato que posso falar mais pra frente. Ainda faltam 3 meses, que estão demorando mais do que os seis anos. Tem que esperar acabar, aí sim converso sobre as coisas que deram certo, o que poderia ter feito de diferente.

O presidente também falou sobre a situação da construção do CT de Marechal Hermes e o CT profissional.

“Conseguimos aprovar um projeto no Marechal. Acredito que até o final do ano podemos começar a obra. Tínhamos um acerto de que além do terreno, receberíamos dinheiro da prefeitura junto com empresa privada para a construção e isso não aconteceu, temos terreno, mas não temos dinheiro para construir o CT profissional.

Com as eleições chegando, o presidente foi perguntado sobre o caso da chapa do Alberto Macedo com Durcésio, se seria neutra ou de situação.

“Não tem chapa de situação, eu tinha dois candidatos, o Paulo Mendes e Chico Fonseca, mas não puderam aceitar por questões profissionais. Então deixei meus vices muito livres para apoiarem os candidatos que entendessem como os melhores. Tem vice que apóia a chapa do Vinícius, do Durcésio. Não sei dessa composição do Alberto vir como presidente e Dulcésio como vice, pois não participo do grupo de pessoas que estão articulando essa candidatura específica. Posso dizer que eu talvez vá apoiar um candidato. Primeiro temos que definir efetivamente quais são as chapas.”

Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente do Botafogo, fez séria críticas ao trabalho do Maurício Assumpção, como a notícia passada que jovens dormiam em camarotes no Caio Martins. Porém, o presidente negou essa declaração.

“A informação que foi passada para o Montenegro que jovens dormem aonde eram os camarotes é falsa. Os camarotes foram reformados, agora são alojamentos, que dormem no máximo quatro jogadores, com banheiro individuais.O Ministério Público fiscalizou e o Botafogo estava autorizado a manter a base no Caio Martins.
Para falar da base do Botafogo atualmente, a pessoa tem que mostrar um trabalho, do Brasil ou fora, melhor que o do clube.”

O Botafogo está conseguindo reação  no Campeonato Brasileiro para fugir do rebaixamento e conseguiu uma classificação histórica para as quartas de final da Copa do Brasil. O presidente falou sobre esse momento e o que espera do futuro do time.

“Mandei recado para o André Bahia, merece muito. O atleta chegou no final de 2012, estava sem mercado no Futebol Brasileiro, o Botafogo abriu as portas e ele soube aproveitar. A titularidade não é pelo fato do Dória ter sido vendido, ele merece esse bom momento que está passando. O Vagner Mancini precisava de tempo para conhecer o time, teve muitos problemas de contusão, novos jogadores que chegaram, o próprio Ramirez, a efetivação de novo do Ferreyra que pode ajudar o grupo, Gabriel subiu de produção. Wallyson voltando a jogar como atuou na Libertadores. O Botafogo não tem elenco para frequentar a zona de rebaixamento. As questões financeiras tumultuaram o ambiente, resultando em problemas dentro de campo. Como já tinha falado, o presidente acha precipitado falar sobre sua passagem pelo clube e que o futuro do Botafogo será grandioso.”

O presidente falou da situação atual do clube com o Ato Trabalhista, Proforte e Refis da crise que o Botafogo passou a aderir.
“O Refis, não só o Botafogo, mas todas as empresas têm, de aderir ao refinanciamento de dívidas com o governo. Alguns clubes de futebol fizeram isso também. A diretoria fez um grande esforço, pois tem que pagar uma entrada de cinco parcelas no valor aproximado de R$ 10 milhões a entrada. Conseguimos fazer o primeiro pagamento da parcela e fazer o mesmo esforço para pagar o resto das parcelas. Se o Profortes sair, pode ir para a lei de responsabilidade do esporte, o Refis dá hoje a possibilidade de tentar o desbloqueio das contas. O Departamento Jurídico fez o primeiro pagamento, vai à justica e pede o desbloqueio, cabe a eles darem ou não. Com relacao ao Ato Trabalhista, continuamos tentando, a expectativa é que tenhamos notícias boas. Eu só deixei de pagar imposto porque não tinha dinheiro. “
Em relação a ajuda dos ilustres torcedores botafoguenses ajudando a pagar financeiramente os salários e direitos de imagem dos jogadores, Maurício Assumpção diz que tem duas opiniões, positiva e negativa, sobre o assunto.
“Eu acho que têm dois aspectos. Primeiro como presidente não gostaria que isso estivesse acontecendo, que o próprio estivesse arcando com os compromissos. Com os jogos fora do Rio, a diretoria conseguiu pagar os direitos de imagem aos jogadores e PJ aos funcionários de futebol que estavam há quase 4 meses sem receber. Mas, como torcedor fico feliz por saber que o clube tem pessoas que entendem a situação e podem a ajudar.”
Após a greve feita pelos jogadores, o presidente se afastou do futebol, colocando o Wilson Gottardo para fazer a ligação entre os jogadores e presidência.
“Eu continuo vindo ao clube, tenho que trabalhar, a diretoria continua correndo atrás de receitas para honrar os compromissos até o final do ano. Mas, quando contratei o Gottardo, eu disse que não ia mais no futebol, essa é uma questão que ele resolveria e que fizesse esse meio campo entre diretoria e jogadores. Eu continuava indo aos treinos, comparecendo nos jogos, mas depois do episódio da greve eu resolvi me afastar.
Maurício foi perguntado sobre os seis anos na presidência do Botafogo e preferiu não responder, pois ainda não chegou ao fim.
“Esse é um fato que posso falar mais pra frente. Ainda faltam 3 meses, que estão demorando mais do que os seis anos. Tem que esperar acabar, aí sim converso sobre as coisas que deram certo, o que poderia ter feito de diferente.
O presidente também falou sobre a situação da construção do CT de Marechal Hermes e o CT profissional.
“Conseguimos aprovar um projeto no Marechal. Acredito que até o final do ano podemos começar a obra. Tínhamos um acerto de que além do terreno, receberíamos dinheiro da prefeitura junto com empresa privada para a construção e isso não aconteceu, temos terreno, mas não temos dinheiro para construir o CT profissional.
Com as eleições chegando, o presidente foi perguntado sobre o caso da chapa do Alberto Macedo com Durcésio, se seria neutra ou de situação.
“Não tem chapa de situação, eu tinha dois candidatos, o Paulo Mendes e Chico Fonseca, mas não puderam aceitar por questões profissionais. Então deixei meus vices muito livres para apoiarem os candidatos que entendessem como os melhores. Tem vice que apóia a chapa do Vinícius, do Durcésio. Não sei dessa composição do Alberto vir como presidente e Dulcésio como vice, pois não participo do grupo de pessoas que estão articulando essa candidatura específica. Posso dizer que eu talvez vá apoiar um candidato. Primeiro temos que definir efetivamente quais são as chapas.”
Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente do Botafogo, fez séria críticas ao trabalho do Maurício Assumpção, como a notícia passada que jovens dormiam em camarotes no Caio Martins. Porém, o presidente negou essa declaração.
“A informação que foi passada para o Montenegro que jovens dormem aonde eram os camarotes é falsa. Os camarotes foram reformados, agora são alojamentos, que dormem no máximo quatro jogadores, com banheiro individuais.O Ministério Público fiscalizou e o Botafogo estava autorizado a manter a base no Caio Martins.
Para falar da base do Botafogo atualmente, a pessoa tem que mostrar um trabalho, do Brasil ou fora, melhor que o do clube.”
O Botafogo está conseguindo reação  no Campeonato Brasileiro para fugir do rebaixamento e conseguiu uma classificação histórica para as quartas de final da Copa do Brasil. O presidente falou sobre esse momento e o que espera do futuro do time.
“Mandei recado para o André Bahia, merece muito. O atleta chegou no final de 2012, estava sem mercado no Futebol Brasileiro, o Botafogo abriu as portas e ele soube aproveitar. A titularidade não é pelo fato do Dória ter sido vendido, ele merece esse bom momento que está passando. O Vagner Mancini precisava de tempo para conhecer o time, teve muitos problemas de contusão, novos jogadores que chegaram, o próprio Ramirez, a efetivação de novo do Ferreyra que pode ajudar o grupo, Gabriel subiu de produção. Wallyson voltando a jogar como atuou na Libertadores. O Botafogo não tem elenco para frequentar a zona de rebaixamento. As questões financeiras tumultuaram o ambiente, resultando em problemas dentro de campo. Como já tinha falado, o presidente acha precipitado falar sobre sua passagem pelo clube e que o futuro do Botafogo será grandioso.”
Comentários