Após uma campanha fraca, o Botafogo teve seu rebaixamento concretizado neste domingo, ao ser derrotado pelo Santos. Com isso, os alvinegros terão o próximo ano para trabalhar visando o acesso a elite do futebol nacional. O recém-nomeado presidente Carlos Eduardo Pereira lamentou o descenso da equipe, mas afirmou que a situação financeira do clube não irá melhorar até o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) desbloquear as receitas.

“Compartilho com todo torcedor botafoguense o sentimento com este rebaixamento. Temos que trabalhar para que o Botafogo possa voltar ao lugar que é de direito. O rebaixamento já está concretizado, mas temos que pensar em resolver os problemas da gestão anterior. A questão trabalhista é complicada porque nenhuma empresa consegue viver com 100% das receitas penhoradas”, disse.

Pereira revelou que o Botafogo não vai receber nenhuma parcela da venda do zagueiro Dória e cotas de televisão por conta das dívidas do clube. O mandatário vai tentar fazer acordos para que o clube possa ter renda na próxima temporada. Ele atacou o TRT pela penhora de todas as receitas botafoguenses.

“Sobre o Dória, o que sabemos, todas as parcelas da venda serão repassadas para credores. Vamos ver quem são e tentar conversar. Já os direitos de TV não foram todas antecipadas, mas o que temos que receber também estão penhoradas. Se o TRT não mudar sua posição, que é inconstitucional, é melhor dar a chave para eles tentarem administrar o clube”, declarou.

Por fim, o presidente pediu a compreensão dos torcedores, pois o Botafogo vive um momento delicado não só dentro como também fora de campo.

“Peço a ajuda de todos os botafoguenses para que possamos voltar a deixar o clube forte. Vamos trabalhar com o este objetivo”, finalizou.

Fonte: Fox Sports