Jobson, que brilhou com a camisa do Botafogo, deixou a cadeia, em Marabá (PA), na última quarta-feira (1), após 69 dias. Preso desde o dia 23 de junho, sob suspeita de estupro de vulnerável, o ex-jogador conseguiu a liberdade provisória mediante a acordo de pagamento de fiança e sob a condição de não manter contato com as vitimas.

De acordo com o juiz Ricardo Gagliari, da comarca de Colméia, a 206 km de Palmas, Jobson terá que cumprir algumas medidas cautelares, como o pagamento de uma fiança de R$ 22 mil – além de não beber, usa quaisquer drogas, nem frequentar bares ou boates, bem como não se ausentar da comarca de Tocantins sem autorização do juiz. A ordem é estar em casa entre 19h e 6h.

No acordo com a justiça, Jobson também se compromete a atender todos os chamados judiciais sempre que for chamado e está proibido de tentar o contato com qualquer uma das quatro vítimas Segundo o juiz que concedeu a liberdade provisória, a liberdade do ex-jogador não afronta a ordem pública. O Ministério Público Estadual manifestou-se favorável à decisão.

O ex-atacante do Botafogo é acusado dos crimes de estupro de vulnerável, ameaça, disponibilização de fotografia pornográfica de adolescente na internet e oferecimento de bebida alcoólica a menores de 18 anos.

Fonte: Torcedores.com