Talvez, os que acompanham Jonathan desde as categorias de base já imaginassem o sucesso imediato do jovem, mas o fato é que as boas e constantes atuações do lateral-esquerdo de 21 anos surpreenderam a maioria da torcida e o tornaram uma grata surpresa, mesmo com a pífia campanha do Botafogo no Campeonato Carioca.

A primeira partida de Jonathan como profissional do Alvinegro se deu no clássico contra o Flamengo e, como atuou como “gente grande” e arrancou elogios de cara, mostrou ser confiável após o teste de fogo.

Por falar em teste, dá para apontar Jonathan com o principal de Zé Ricardo neste Estadual, no qual o comandante já havia afirmado que o utilizaria como um laboratório para os mais jovens. Jonathan assumiu a bronca com a má fase de Gilson, contestado pela torcida, e se consolidou entre os titulares sem sequer estar presente entre os profissionais em 2018.

– Às vezes, chego em casa, deito e fico pensando nisso (rápida transformação em sua carreira). Está sendo maravilhoso para mim – comentou o camisa 6, em entrevista coletiva concedida na última semana.Zé já havia sinalizado que contaria com Jonathan para 2018, ainda mais com as saídas de Yuri e Moisés – este último era esperado para renovar, porém optou em ser emprestado ao Bahia. A tendência para o restante da temporada é que o treinador siga dando bastante confiança ao promissor garoto de Japeri.

– Eu sempre fui lateral de bastante chegada, e o Zé está me dando confiança para chegar na linha de fundo ou na área. Vou trabalhar para conseguir ainda mais gols – completou, recentemente.

Ao todo, Jonathan soma dois gols em 11 jogos em 2019. Com passagens por Nova Iguaçu e Internacional, o lateral possui uma multa rescisória fixada em 7,5 milhões de euros (R$ 32,5 milhões) para clubes do exterior e em R$ 25 milhões para brasileiros. Ainda no ano passado, Jonathan foi o líder de assistências da equipe sub-20 do Bota na temporada – 12 em 36 jogos. A aguardar a evolução.

Fonte: Terra