A final do Campeonato Carioca pode ter sido a última partida de Ricardo Gomes como técnico do Botafogo. Logo após o empate com o Vasco no Maracanã, ele admitiu que tem uma proposta do Cruzeiro e irá conversar oficialmente hoje com o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira.

— Quando me perguntaram há 15 dias, não tinha nada, nenhuma proposta. Agora, tenho uma proposta do Cruzeiro. Vou conversar com o presidente amanhã (hoje). Isto está claro. Não é segredo. Mas resolvo na terça-feira. Vamos fazer um balanço sobre tudo o que fizemos até agora e vamos decidir — declarou Gomes.

Além do técnico do Botafogo, o Cruzeiro queria Jorginho, treinador do Vasco. Com a sua recusa, Gomes passou a ser a principal opção. Dirigentes do time de Belo Horizonte disseram que apenas esperavam o fim dos campeonatos estaduais para tomar uma decisão. O Cruzeiro sequer chegou às finais co Campeonato Mineiro, conquistado ontem pelo América, em final com o Atlético, no Mineirão.

Sobre a decisão, Gomes apontou o fato experiência como fundamental para o triunfo do Vasco ontem, ma elogiou o esforço dos jogadores.

— Gostei da atitude do time. A diferença da experiência do Vasco é grande. Mas os jogadores deram conta. Perdemos o Diogo logo no início da partida, e perdemos força ofensiva. Mesmo assim, o nosso meio-campo fez um grande jogo. São jogadores de 18, 19 anos. Vocês viram o que o Leandrinho jogou hoje. Tem a dor do título, mas a evolução é mais rápida. Quando se chega na final, é para ganhar. Não conseguimos transformar todo o volume de jogo em gols. Saímos tristes, mas esperançosos com o futuro — explicou.

Mesmo sem anunciar o que será de seu futuro antes da conversa com Pereira, Gomes já sabe que o Botafogo terá que jogar em alto nível, como foi na partida de hoje, durante o Brasileiro. Tarefa nada fácil.

— Temos que manter o nível do jogo de hoje. Não será fácil. Mas se fizemos uma vez, podemos fazer diversas vezes. Isso não foi inventado.

Sem poder de fogo

Um dos pontos fracos do Botafogo ao longo do Carioca foi o ataque. Gomes já conversou com Antônio Lopes, gerente de futebol, sobre a necessidade de o time contar com um atacante mais experiente.

—Faltou o gol. Isso foi o negativo de nossa campanha. Precisamos traduzir esse volume de jogo em gols. Faltou experiência? Isso teve um peso. Mas nessa semana conversamos com o Lopes sobre mais um atacante. — declarou.

Já a defesa, que terminou ontem como uma das melhores, ao lado da do Vasco, e um dos xodós do treinador, cometeu, segundo ele, uma falha de marcação no gol de Rafael Vaz:

— Seria o Diogo Barbosa (a marcar) ali. A diferença de altura é brutal. Não esperávamos a entrada do Rafael Vaz. É lógico que houve a falha. É claro que não poderia ser o Diego lá. Mas falar disso agora… Foi uma troca no intervalo. Tem um desconto.

Fonte: O Globo Online