PVC lembra volta olímpica frustrada do Flamengo em ano que Botafogo levou o título

Compartilhe:

O Cruzeiro deu a volta olímpica depois da vitória sobre o Grêmio por merecimento. Ainda não é, mas será o campeão brasileiro com tantos méritos,a ponto de ser o único na história do Campeonato Brasileiro a vencer todos os outros participantes. A estatística vale tanto se você considerar o Brasileirão de 1971 para cá, quanto se levar em conta as edições de Taça Brasil e Robertão, desde 1959.

Mas a volta olímpica remete a uma história mal sucedida de um time que deu a volta olímpica sem ser campeão. E não ficou com a taça. Aconteceu com o Flamengo, virtual vencedor da Taça Guanabara de 1968. O torneio não fazia parte do Campeonato Carioca tinha importância para a realidade do futebol da época.

Na penúltima rodada, o Flamengo empatou por 0 x 0 com o Botafogo. Faltava apenas um ponto, o Botafogo não jogaria mais e aos rubro-negros bastava empatar com o Bonsucesso no Maracanã, em jogo válido pela sexta rodada, não concluída.

Então, por que evitar a festa? O Flamengo iniciou a volta olímpica e percorreu mais da metade do campo cumprimentando seus torcedores. Na quarta-feira, perdeu para o Bonsucesso por 2 x 0, gols de Gonçalves.

Isso forçou o jogo-desempate entre Flamengo e Botafogo. Os alvinegros já excursionavam pelo centro-oeste do Brasil, quando foram chamados de volta para fazer a finalíssima contra o Flamengo. Venceram por 4 x 1, dois gols de Gérson, um de Zequinha e outro de Roberto Miranda.

Assim, o Flamengo entrou na história como o clube que deu a volta olímpica e perdeu o título.

Repetir a história? Nâo, o Cruzeiro não vai.

8/setembro/1968
FLAMENGO 0 x 0 BOTAFOGO
LOCAL: Estádio do Maracanã.
RENDA: NCR$ 336.718,00
PÚBLICO PAGANTE: 95.412.
ÁRBITRO: Armando Marques.
FLAMENGO: Claudinei; Murilo, Onça, Guilherme e Paulo Henrique; Liminha e Rodrigues Neto; Cardosinho (Carlinhos), Luis Cláudio, Silva e Diogo (Fio).
Técnico: Válter Miraglia
BOTAFOGO: Cao; Moreira, Zé Carlos, Leônidas e Valtencir; Carlos Roberto e Gérson; Rogério (Humberto), Roberto, Jairzinho e Paulo César.
Técnico: Zagalo

 

11/setembro/1968

BONSUCESSO 2 x 0 FLAMENGO
LOCAL: Estádio do Maracanã.
RENDA: NCR$ 115.470,00
PÚBLICO PAGANTE: 47.821.
ÁRBITRO: Armando Marques.
BONSUCESSO: Ubirajara, Luís Carlos, Jurandir, Paulo Lumumba e Albérico; Fifi (Moisés), Didinho e Gibira; Gilbert (Jair Pereira), Gonçalves e Morais.
Técnico: Velha
FLAMENGO: Claudinei; Murilo, Onça, Guilherme e Paulo Henrique; Carlinho e Liminha; Luis Cláudio (Zézinho), Fio, Silva e Rodrigues Neto.
Técnico: Válter Miraglia
GOLS: Gonçalves (2)

 

JOGO-DESEMPATE

18/setembro/1968

BOTAFOGO 4 x 1 FLAMENGO
LOCAL: Estádio do Maracanã.
PÚBLICO: 94.535.
ÁRBITRO: Armando Marques.
BOTAFOGO: Cao (Wendell); Moreira, Zé Carlos, Leônidas (Dimas) eValtencir; Carlos Roberto e Gérson; ZÉquinha, Roberto, Jairzinho e Paulo César.
Técnico: Zagalo
FLAMENGO – Ubirajara; Murilo, Onça (Jorge Andrade), Guilherme e Paulo Henrique; Carlinhos, Liminha e Nelsinho (Dionísio); Fio, Silva e Rodrigues Neto.
Técnico: Válter Miraglia
GOLS: Gérson (2), Zequinha e Roberto / Dionísio.

Fonte: Blog do PVC - ESPN.com.br

Comentários