Renato tem evolução, mas 3ª lesão no ano breca sequência

Compartilhe:

Um dos líderes do Botafogo, Renato vive momento delicado na carreira. O jogador foi titular absoluto do time em 2011, mas não se firmou no ano seguinte e viu Gabriel tomar conta da posição até hoje. O camisa 8, no entanto, aproveitou ausência do jovem atleta e demonstrou evolução técnica, sendo um dos destaques contra o Santos. Porém, ele sentiu a terceira lesão na temporada, diante do Cruzeiro, o que impede que tenha uma sequência no Alvinegro.

A primeira baixa ocorreu logo na estreia do Campeonato Carioca. Após encerrar o ano na reserva de Gabriel, Renato viu a chance contra o Duque de Caxias como a oportunidade de se firmar na equipe. Porém, ele sofreu um estiramento na coxa esquerda e ficou dois meses afastado dos gramados.

Voltou no início de abril contra o Olaria, mas já entre os reservas. Desde então, não teve uma sequência no Botafogo, o que ficou ainda mais difícil pelas dores na lombar que tanto o afetaram durante alguns meses. O incômodo ficou no passado, mas Renato precisava de nova brecha, já que Marcelo Mattos e Gabriel voltaram a se firmar entre os titulares.

A oportunidade veio com o desfalque de Gabriel durante dois jogos. Renato assumiu a vaga diante de Santos e Cruzeiro. E quando parecia que poderia competir com o jovem companheiro, sentiu nova lesão, desta vez, na coxa direita e ficará de fora do jogo contra o Bahia, justamente quando o rival pela posição retorna ao time.

Renato está incomodado com a situação. Prova disso foi o desespero apresentado após sentir o problema na coxa direito durante o jogo contra o Cruzeiro. O volante se jogou no chão e começou a chorar. Não pela gravidade, que viria se confirmar como leve na última quinta-feira, mas pela sequência de lesões que o impedem de ter uma sequência pelo Botafogo.

“Foi um alívio muito grande [fato de lesão ter sido leve]. O Renato é um jogador muito importante para esse time. Se pudermos recuperar o quanto antes será importante para a produtividade da equipe”, disse o técnico do Botafogo, Oswaldo de Oliveira.

O camisa 8 recebe cerca de R$ 300 mil e tem o segundo maior salário do Botafogo, atrás apenas de Seedorf – R$ 700 mil. A diretoria cogitou utilizá-lo como moeda de troca, mas Renato é um dos líderes do elenco e sua saída foi descartada. O Alvinegro ainda aposta em uma volta por cima do atleta, com contrato até junho de 2014.



Fonte: UOL
Comentários