O técnico do Botafogo, Ricardo Gomes, apontou a falta de entrosamento como fatal para a equipe na derrota de 3 a 0 para o Santos, no Pacaembu, neste domingo. As constantes trocas de escalação são uma situação que, segundo o treinador, acontecem desde o Campeonato Carioca.

– Foi mais falta de confiança do que o time disperso, que foi o que houve contra o Cruzeiro. Tudo isso que a gente vem falando a cada derrota vem do número de mexidas. Treinamos 20 minutos ontem. Desde o Carioca, nunca mais encontramos o nosso time, a nossa defesa. E consequentemente a responsabilidade é minha. Você cobra o jogador, mas sem entrosamento há um déficit na hora do ‘vamos ver’. Aconteceu contra o Cruzeiro e agora contra o Santos. No jogo do Cruzeiro fiquei mais chateado pelo comportamento, não foi o caso de hoje – lamentou Ricardo Gomes.

– Fizemos um segundo tempo aceitável, que serve para recuperar e sair dessa situação. Temos que voltar a jogar, e jogar bem. Não estar nessa situação em 10 rodadas. Quero ver o time evoluindo. Evoluímos um pouco mais no segundo tempo, mas tivemos duas derrotas – completou o técnico.

A história do jogo poderia ter sido outra caso Neilton tivesse convertido um pênalti no segundo tempo, quando a partida ainda estava 2 a 0 para o Santos. A cobrança foi para fora.

– Eu falei para o Neilton bater. Como eram dois jogadores que entraram no intervalo, houve essa discussão. Antes do jogo, delineamos os batedores. Temos bons jogadores para bater, como o Gegê e o Fernandes, que não estavam em campo – explicou Ricardo Gomes.

– Ele (Neilton) foi bem recebido no Botafogo. Agora, ele entrou na Série A, não chegou nas melhores condições, teve lesão na pré-temporada. Jogador precisa estar no melhor da forma. Quando reencontrar o melhor, o futebol e a confiança vêm – prevê o treinador.

Apesar da força do comandante, o atacante saiu abatido de campo por conta da oportunidade desperdiçada.

– Se tivesse feito o gol, o jogo poderia ser outro. É complicado. ninguém gosta de perder, ainda mais três seguidas – lamentou.

Fonte: O Globo Online