Neste domingo, Oswaldo de Oliveira viverá um momento marcante. Agora no comando do Atlético, o experiente treinador reverá o clube no qual mais tempo trabalhou na vasta carreira. Apesar de não acumular títulos de maior importância, o técnico ficou no Botafogo por duas temporadas – marca expressiva para os padõres do futebol brasileiro.

Entre 2012 e 2013, foram 127 jogos à frente do time alvinegro. Conquistou a Taça Rio (returno do Campeonato Carioca) de 2012 e o Estadual do ano seguinte, ao vencer primeiro e segundo turnos. Deixou saudade em General Severiano, mesmo não tendo conquistado títulos nacionais.

O tempo dado para Oswaldo trabalhar deu frutos ao Botafogo, que, com um time limitado, conquistou classificação para a Copa Libertadores. Nem em times em que teve resultados teoricamente melhores, o técnico conseguiu permanecer por tanto tempo.

Em 2000, Oswaldo de Oliveira ganhava o troféu mais importante da longa carreira como treinador. O título mundial pelo Corinthians, entretanto, não representou sequência de trabalho. Afinal, ele deixou o clube paulista na mesma temporada. Foram 63 partidas em dois anos à frente do alvinegro paulista.

Entre 2002 e 2003, treinou o São Paulo em 76 oportunidades. Foi o segundo trabalho mais longevo de Oswaldo de Oliveira em termos de quantidade de jogos.

Mas o time em que o técnico mais teve tempo para desenvolver a filosofia de jogo não é do Brasil. Oswaldo conquistou sete títulos com o Kashima Antlers, do Japão, onde trabalhou de 2007 a 2011.

Atlético x Botafogo

Os lados mudaram e, agora, Oswaldo defende o Atlético. E a partida no Independência tem grande importância para as ambições do time mineiro. Afinal, o sexto colocado Botafogo soma 47 pontos – seis a mais que o 10º Atlético.

“É um jogo muito importante, não só por esse aspecto (de ser um confronto direto), mas porque precisamos de uma sequência de vitórias, já que estamos aquém de uma referência de pontos para uma classificação (para a Copa Libertadores)”, disse, em entrevista coletiva.

Fonte: Superesportes