Um dos principais pilares do trabalho do técnico Jair Ventura é a meritocracia: joga sempre quem está no melhor momento. Há quem conteste a filosofia dizendo que ela dificulta o entrosamento do time. Entretanto, impossível negar que dá aos jogadores alvinegros uma motivação fora do comum.

Tal ânimo pôde ser visto com clareza nos últimos dois confrontos do Botafogo. Rodrigo Lindoso, que foi titular no ano passado e em parte desta temporada, mas acabou perdendo a vaga para Airton, parece ter recuperado a posição. Após excelente atuação contra o Atletico Nacional, pela Libertadores, e um gol no domingo, diante da Ponte Preta, ele parece não abrir mão da vaga de titular.

Jair comentou a opção por Lindoso no domingo, quando Airton estava disponível.

— Meritocracia, né? Não posso falar aqui e não cumprir com eles depois. Lindoso foi muito bem. Quem estiver melhor vai jogar — avisou Jair.

Agora, a disputa entre os dois por uma vaga na equipe promete. As chances de ambos atuarem juntos são remotas — pode acontecer se João Paulo deixar o time titular (dificilmente um dos dois barra Bruno Silva, até porque atuam mais recuados), mas deve ficar mais difícil após o retorno de Montillo.

Além da briga dentro das quatro linhas, algo que une os dois volantes está no vínculo com o clube. Os contratos de ambos vão até o fim deste ano e o Botafogo quer renovar com os dois.

Os atletas já falaram publicamente que devem ficar e querem renovar.

Fonte: Extra Online