Seedorf rebate críticas: ‘Minha experiência vai contar essa hora’

Compartilhe:

Com um currículo vencedor, no qual constam títulos da Liga dos Campeões e campeonatos nacionais europeus, entre outros, Seedorf tem a seu favor a experiência para não se deixar contaminar em um momento adverso, de três derrotas seguidas do Botafogo no Campeonato Brasileiro. O craque enxerga sua fase pessoal e a coletiva da equipe como naturais, mas sem se acomodar, ciente de que os jogadores têm capacidade de reverter a situação.

Após o treino técnico desta terça-feira, no Stadium Rio, Seedorf deu entrevista coletiva e garantiu que o foco do Botafogo está em olhar para a frente, e não em se remoer pelo passado. Confira os principais trechos:

SÉRIE NEGATIVA

“O mundo e o esporte são assim, tudo é resultado. A verdade é que nós, com esses três resultados negativos, não vamos perder tudo que construímos. Muitos estão falando certas coisas… Em um trabalho de um ano inteiro, todo mundo passa por momentos assim, só o Cruzeiro não passou, está de parabéns. Vamos voltar a brigar até o fim do ano, como fizemos até agora. Anormalidade é jogar em alto nível 70 jogos no ano, ninguém faz. O Corinthians perde para a Portuguesa, o Inter perde em casa três vezes… Estamos com os mesmos pontos do Grêmio e vamos voltar. O Botafogo vai voltar, porque construiu os fundamentos e sempre consegue levantar. Há coisas muito piores no mundo para ficar abatido ou preocupado”.

CONFIANÇA

“O Botafogo tem que estar orgulhoso por estar lá no alto e brigando pelas primeiras posições. Precisa ter coragem de olhar para a frente com otimismo e vontade, e não medo ao olhar para trás. Se você fica abatido porque perdeu uma batalha esportiva, não merece estar em alta. Mas não queremos ganhar uma batalha só, queremos a guerra. Embora eu não goste de usar essa frase, vocês entenderam o que quero dizer (risos). O Botafogo tem que acreditar e sonhar, ter força e coragem para olhar para a frente”.

AUTOAVALIAÇÃO

“Para o meu jogo pessoal, agora falam que é idade, é isso, é aquilo… Quando eu voltar a jogar bem, vão falar tudo de novo. Há muito oportunismo. Minha experiência e responsabilidade vão contar nessa hora. Jogando mal, faz parte ser o grande jogador também. Ser presente só na vitória é a coisa mais calma do mundo, todos querem ser amigos. Convido o torcedor para continuar a apoiar esse ano, pois o Botafogo já fez coisas maravilhosas. Três derrotas não vão tirar a confiança. Batemos vários recordes esse ano, temos confiança e humildade para rever algumas coisas que fizeram diferença para nós. Ganhamos jogos jogando mal, como contra a Portuguesa. O futebol é isso”.

CLÁSSICO COM O FLUMINENSE

“Posso garantir que esse time tem caráter para assumir a responsabilidade e está pronto para combater contra um adversário ideal. São sempre esses jogos que levantam o ânimo de todo mundo. Vai ser jogo pegado, mas vamos combater e honrar a camisa do Botafogo, como sempre fizemos esse ano”.

CRÍTICAS

“Não estou preocupado com críticas. Quando há grande expectativa, acham que todo jogo terá assistência e gol, quando não faço acham que jogo mal. Vejo diferente o futebol, jogador joga para o time, o time que tem que vencer. Não significa que jogador que não está bem não pode ser útil para o time. Nosso time joga com o conjunto. É um direito jogar mal de vez em quando, sou humano, mas o meu empenho é sempre o mesmo. Não tem que exagerar com mérito ou demérito. Me sinto bem, voltei a me sentir bem fisicamente, depois do desgaste da série de jogos. Vou tentar minhas jogadas, o que sei fazer. Já passei várias vezes por essas fases, mas acho que vocês acompanharam que sempre terminou bem no fim.”

TORCIDA CONVOCADA

“Não vamos jogar a toalha, não é o momento. É um ano especial, vou chamar o torcedor, sim. Estamos nas quartas de final da Copa do Brasil, podendo ir à semifinal, e estamos na segunda posição do Campeonato Brasileiro, ao lado do Grêmio. Temos condição, por causa desse grupo, de sair. Precisamos do apoio do nosso torcedor, sem ele vai ser complicado. Nossa torcida é muito inteligente. Quando nosso grupo chamou a torcida, ela respondeu de maneira excelente. Está com vontade muito grande de vitória. Para alcançar, o externo não pode atrapalhar o interno. Só assim vamos conquistar o que estamos sonhando. O trabalho não acabou. Essa força dos torcedores vai nos ajudar”.



Fonte: Site oficial do Botafogo
Comentários