Com a rivalidade cada vez mais acirrada dentro e fora de campo, Flamengo e Botafogo seguem a mesma direção quando o assunto é investimento em prevenção de lesão. Sem as principais estrelas no clássico de hoje pela semifinal do Campeonato Estadual — Jefferson está há quase um ano parado, e Diego ficará fora por até seis semanas —, os clubes vivem momentos distintos na modernização de seus departamento médicos. Ambos, porém, passaram por crises recentes.

Do lado alvinegro, houve demissão do coordenador Luiz Fernando Medeiros, que será substituído por João Grangeiro. Já o Rubro-Negro teve um racha interno, pois um dos médicos, Guilherme Runco, pediu demissão por não participar da cirurgia de Diego. O pai dele, José Luiz Runco, saiu em sua defesa e criticou o atual chefe do departamento, Marcio Tannure, que tenta dar nova cara ao chamado Centro de Excelência em Performance, implementado em 2016.

No Botafogo, desde o fim do ano passado já há melhorias em equipamentos, e a mudança nos métodos terá início amanhã, quando João Grangeiro assume de fato. Antes disso, o clube disponibiliza para os atletas sistemas como o Normatec, que acelera recuperação, KINEO, para medir força muscular, e o GPS Catapult S5 para monitorar atletas. Todos os equipamentos são usados também no Flamengo, alguns de marcas distintas. O clube da Gávea modernizou mesmo a metodologia, com fases de recuperação pré-definidas, que vai do zero até o número cinco.

Fonte: Extra Online