O desgaste foi o principal fator apontado pelo Botafogo para explicar a derrota de 2 a 0 e a atuação apática contra a Ponte Preta na noite de quinta-feira. Porém, o técnico Ricardo Gomes e os jogadores comemoraram após a partida o fato de o próximo compromisso ser apenas no dia 14 de agosto, diante do São Paulo, no Morumbi, na capital paulista. Isso porque o choque com o Grêmio, que seria neste fim de semana, foi adiado por conta dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Pelo planejamento os jogadores, que retornaram de Campinas na manhã desta sexta-feira e participaram de um trabalho regenerativo, ganharão a folga no fim de semana. A reapresentação está marcada para segunda-feira, quando começa uma semana apenas de treinos.

“Para nós será muito importante porque teremos tempo para descansar e depois nos preparar com treinos para um jogo complicado contra o São Paulo. A gente não vinha conseguindo ter esse tempo. Agora vamos poder trabalhar, pois o São Paulo vai exigir demais da nossa equipe, pois está na parte de cima da tabela de classificação”, disse Ricardo Gomes.

“Para nós jogadores é muito importante ter um período para podermos nos recompor de uma sequência desgastante de partidas, algo que a gente não vinha tendo. Vamos poder ficar um pouco com a família e depois retomar os trabalhos com todo o gás, pois sabemos que o Botafogo tem condições de estar em uma posição bem melhor na tabela de classificação”, declarou Fernandes.

O goleiro Sidão lembrou que os jogadores sequer estão com tempo para assimilar bem o que vem sendo passado pelo treinador. “O Botafogo pode render muito mais do que vem rendendo no Campeonato Brasileiro, porém, o desgaste físico é algo que precisa ser superado e por isso mesmo este período sem partidas é muito importante. Teremos um tempo para descansar e depois ficarmos mais atentos ainda ao que o Ricardo Gomes vai passar, pois com a rotina de viagens e jogos não estamos conseguindo corrigir algumas coisas que estão erradas”, afirmou o arqueiro.

O período sem jogos também pode ser importante para recuperar alguns atletas que estão em transição entre o departamento médico e a preparação física, como o goleiro Jefferson e o zagueiro argentino Joel Carli.

Fora de campo um fato curioso chamou a atenção dos jogadores no retorno da delegação, pois no aeroporto do Rio de Janeiro acontecia um protesto contra o presidente Michel Temer. Manifestantes, com gritos, impediram que a imprensa conseguisse entrevistar o elenco.

Fonte: Gazeta Esportiva