Levir Culpi nunca escondeu a ‘dívida moral’ que teve com o Palmeiras, quando em 2002 o clube acabou rebaixado pela primeira vez em sua história. Por ironia do destino, no ano seguinte ele acabou indo parar no Botafogo, que havia caído junto do Alviverde. Em entrevista exclusiva ao FOXSports.com.br o treinador lembrou da história, que terminou em final feliz para as duas equipes. Vale lembrar que nesta quarta-feira (24 de maio) o FOX Sports e APP FOXSports transmitem com exclusividade partida decisiva do clube paulista na Conmebol Libertadores contra o Atlético Tucumán-ARG a partir das 21h.

Contratado pelo Palmeiras no ano do rebaixamento logo após a efêmera demissão de Murtosa, ex-auxiliar de Felipão que durou apenas quatro jogos no clube, Levir se juntou ao Alviverde na nona rodada do Brasileirão, com a missão de erguer a equipe que até então havia conquistado três empates, três derrotas e um única vitória (sobre o São Caetano) no torneio.

Recém-chegado do Atlético-MG, o treinador pouco pôde fazer para levantar aquele time que tinha no elenco nomes como o eterno ídolo Marcos, Zinho, Nenê e Dodô. Com seis empates, sete derrotas e apenas cinco vitórias conquistadas até o fim do Brasileirão, o Palmeiras acabou tendo o seu rebaixamento decretado no dia 17 de novembro de 2002, após derrota fora de casa pra o Vitória por 4 x 3, que deixou o clube paulista no 23° lugar geral na tabela com 27 pontos somados em 25 jogos.

 

Sentindo-se na obrigação de reerguer o Palmeiras à elite do futebol brasileiro, Levir até tentou continuar na equipe, mas Jair Pecerni, vice-campeão da Libertadores com o São Caetano, acabou contratado. Por ironia do destino, o treinador acabou recebendo convite de Bebeto de Freitas, então presidente do Botafogo em 2003, para comandar a equipe que também havia sido rebaixada no ano anterior. Para ele, aquilo não se passava de pura ‘dívida moral’.

“Naquela época isso realmente me passou na cabeça (dívida moral) porque eu fui até os últimos jogos tentando salvar o Palmeiras, mas não foi possível e me senti naquela obrigação. Por uma coincidência muito legal o Bebeto assumiu o Botafogo e me chamou, e no fim das contas os dois times voltaram. Seria um prazer se eu pudesse ter voltado com o Palmeiras, mas eu consegui pelo Botafogo, que é outro time também muito querido”, afirmou Levir.

Assim como foram rebaixados juntos, Palmeiras e Botafogos também retornaram à elite do futebol brasileiro juntos. No quadrangular final o Alviverde terminou como grande campeão com 16 pontos somados (na primeira fase foram 47), e o Alvinegro na vice-liderança com a metade dos pontos (foram 41 pontos somados na primeira fase).

Fonte: Fox Sports