Demorou, mas o Botafogo mostrou que está ativo no mercado. O Alvinegro, que convive com problemas financeiros em 2019, foi um dos protagonistas do último dia da janela de transferências internacionais no país, na última quarta-feira. O Glorioso tentou contratar e encaminhou acertos com Nicolás Blandi, do San Lorenzo, e Darío Aimar, do Barcelona-EQU, mas esbarrou no tempo hábil para registrar os contratos e ficou sem nenhum dos atletas.

Apesar da decepção gerada pela falta de acordo com os possíveis reforços, era praticamente inviável pensar que o Botafogo, um clube que entrou no mês de julho devendo dois meses de salários aos jogadores, iria ao mercado atrás de atletas estrangeiros para reforçar o elenco. Mas isto faz parte de um novo fator dentro dos bastidores.

O Botafogo continua com problemas financeiros, inegavelmente. A situação das contratações seria possível a partir de um grupo liderado por botafoguenses ilustres, com o intuito de qualificar o elenco e evitar com que a equipe de Eduardo Barroca encontre dificuldades para se manter na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, e termine a temporada de forma positiva.

É importante ressaltar que, caso o Botafogo seja rebaixado no torneio, será praticamente impossível que a entrada dos irmãos Moreira Salles no futebol do clube se concretize, por conta da diminuição do valor da cota de televisão. João e Walter, porém, não estiveram envolvidos em nenhuma das negociações pelos jogadores – como divulgado anteriormente, os dois não aplicarão nenhum valor no Alvinegro até que todo o processo de entrada seja regularizado.

O Glorioso chegou perto, mas não contratou nenhum jogador. A partir disto, é esperado que esse grupo dentro do clube se mobilize para encontrar possíveis reforços dentro do mercado interno, já que transferências internacionais serão permitidas apenas em janeiro de 2020. O Botafogo, portanto, provavelmente vai ao mercado em busca de jogadores que atuam no Brasil para melhorar o elenco.

O último dia da janela internacional, porém, foi um ‘epílogo’ do que pode vir a acontecer com a chegada dos irmãos Moreira Salles – e outros investidores – e a consequente entrada de dinheiro nos cofres do Botafogo, que pode voltar a ser protagonista no mercado.

Fonte: Terra