Alessandro Scheppa, o Gatinha, teve passagem curiosa e insólita pelo Botafogo. Desconhecido, foi contratado junto ao Flamengo de Guarulhos, da Quarta Divisão paulista, não teve tempo de ser inscrito no Torneio OPG sub-20 no fim de 2018 e fez apenas um jogo no profissional: empate em 0 a 0 com o Bangu.

Zé Gatinha chegou ao Botafogo por indicação do técnico Ricardo, mas jogou apenas 26 minutos no clube.

— Eu acredito que poderia ter mais chances, mas a campanha no final do Brasileiro me complicou. O time precisava ganhar os jogos, então não teve como poupar jogadores. Por isso, o Zé Ricardo segurou bastante. Eu entendo ele, mesmo porque eu não tinha muita experiência, estava vindo de um clube pequeno – disse Zé Gatinha ao site “Fogo na Rede”.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo | Cupom de 10% de desconto

Alvo de memes da torcida, como ser pé-quente em 2018 (o Botafogo arrancou após sua contratação) e do grito “Solta o Zé Gatinha nessa porra”, o meia-atacante de 22 anos acredita que a pressão dificultou sua adaptação.

— Fiquei bastante nervoso pela estreia, sobretudo por ser num time gigante como o Botafogo e logo após sair de um clube pequeno. A pressão pesou muito no meu jogo contra o Bangu. Mas acredito que se o Zé me colocasse em outros jogos ia me soltar bastante e poderia dar outro resultado – completou.

Hoje Zé Gatinha está no Primavera, da Terceira Divisão paulista.

Vote na enquete abaixo:

Fonte: Redação FogãoNET e Fogo na Rede