CEO do Botafogo fala de senso de urgência: ‘Não temos mais anos, mas sim meses ou talvez semanas’

78 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Jorge Braga, CEO do Botafogo
Vitor Silva/Botafogo

Há cem dias no cargo de CEO do Botafogo, Jorge Braga vai provocando um choque de gestão no clube. Uma das principais promessas de campanha do presidente Durcesio Mello, o executivo vem cobrando bastante dos funcionários, otimizando recursos e buscando solucionar os diversos problemas que o clube vive.

Jorge acumula muita experiência na área de recuperação de empresas, mas o Botafogo é sua primeira inserção no futebol. Após algumas rusgas internas, sua participação na pasta hoje está caminhando bem, e as decisões no campo e bola são tomadas por ele, Durcesio, o vice-presidente Vinicius Assumpção e o diretor de futebol, Eduardo Freeland.

Meu maior desafio é transformar a cultura do Botafogo numa cultura de times de alta performance sustentável. Isso eu fiz a vida inteira em várias indústrias (…). Estabelecer metas, indicadores, negociar recursos e cobrar resultado. Então, a cobrança é natural em qualquer área e a cobrança com o futebol, assim como o financeiro, como jurídico, como negócios, é sempre a mesma: respeitosa, orientada a resultado, mas cobrança, né? E com senso de urgência que o Botafogo precisa, porque, infelizmente, a gente não tem mais anos. A gente tem meses ou talvez semanas – afirmou Braga, em entrevista ao “ge.globo”.

Banner de produtos com frete grátis na loja do FogãoNET: carteira, bolsa de academia e máscaras

O trabalho de Jorge Braga é bem avaliado internamente. O CEO alvinegro, no entanto, acredita que deveria ter gastado mais tempo explicando internamente a real situação financeira do clube. Os próximos passos devem ser a busca de dinheiro novo, com o avanço da Botafogo S/A.

Fonte: Redação FogãoNET e ge.globo

Notícias relacionadas