Comentarista: ‘Empate foi bom para o Botafogo. Se ganhar em casa e empatar fora vai subir’

41 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Kanu - Cruzeiro x Botafogo
Bruno Haddad/Cruzeiro

O Botafogo poderia ter virado líder da Série B se vencesse o Cruzeiro, como poderia ressuscitar o rival se perdesse. No fim das contas, empatou em 0 a 0, nesta terça-feira, no Independência, e chegou a 52 pontos. Pela campanha, o comentarista Henrique Fernandes, do “SporTV”, considerou que o time deve valorizar o resultado.

O empate foi bom, o campeonato do Botafogo é esse, se ganhar em casa e empatar fora vai subir. O primeiro tempo foi decepcionante, dominação total do Cruzeiro, 11 finalizações contra nenhuma, Diego teve que trabalhar mais que o Fábio. Faltou o gol ao Cruzeiro, o resultado, que é o mais necessário. Agora pode chegar no máximo a 63 pontos, talvez não seja o suficiente para subir. Mas teve bons momentos – afirmou Henrique Fernandes.

O Botafogo não conseguia tirar a bola de trás, muita dificuldade na saída de bola, escapou do 1 a 0, que seria o placar mais justo no intervalo. O Enderson (Moreira) mudou o time, subiu a linha, passou a pressionar o Cruzeiro e igualou o jogo, pelo menos durante 25 minutos. Teve chances claríssimas. Mas aos poucos o Cruzeiro cresceu de novo e fez pressão final, porque precisava da vitória acima de tudo. O Botafogo talvez tenha percebido que o empate era para ser preservado nos minutos finais. Não jogou para empatar. No primeiro tempo não jogou para ganhar nem empatar, não jogou nada. Mas no segundo teve momentos para abrir 1 a 0, que poderia dar um desfecho diferente ao jogo. Foi um empate para mim injusto, o Cruzeiro produziu mais. Para o Botafogo foi mais lucrativo, porque administra na reta final pensando no acesso – acrescentou.

Raphael Rezende também considera que o empate não foi ruim, mas fez ressalvas às atuações recentes do Botafogo.

– A estratégia foi equivocada no primeiro tempo. O Botafogo foi inexistente, ficou com a bola, sem velocidade na saída e sem conectar o setor ofensivo. Teve mais relação com a estratégia que especular ou não. Óbvio que o resultado foi melhor para o Botafogo, o Cruzeiro virtualmente está mais um ano na Série B, mas teve uma derrota nos últimos 15 jogos. O grande problema é que em jogos que é melhor não vence, tem muitos empates, era para vencer o jogo. Nesse momento do Botafogo, depois da arrancada, falta mais combatividade e agressividade, talvez esteja dando sinal de desgaste. Não consegue encurtar o espaço dos adversários como o Cruzeiro fez, competiu um pouco menos, mas o resultado foi muito favorável – disse Raphael Rezende.

Fonte: Redação FogãoNET e SporTV

Notícias relacionadas