Comentarista pede paciência à torcida do Botafogo com Luís Castro: ‘Projeto é mais amplo’

102 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Comentarista pede paciência à torcida do Botafogo com Luís Castro: ‘Projeto é mais amplo’
Vitor Silva/Botafogo

Cobrado e pressionado pelos resultados, sobretudo a eliminação com 5 a 0 no agregado para o América-MG, Luís Castro faz parte de um projeto maior e precisa de mais tempo no Botafogo. Essa é a avaliação do comentarista Henrique Fernandes, no “Redação SporTV.

– O caso Castro é à parte no futebol brasileiro. Ontem teve vaia, direcionada ele. Mas fala de apoio, porque compara com o jogo com o Avaí, em que a torcida vaiou no intervalo e para mim não é melhor maneira de se posicionar. Nesse jogo especificamente a torcida teve postura boa, vaiou ao fim do jogo, principalmente o Castro. O torcedor tem que entender que Luís Castro não veio para arrancar no Campeonato Brasileiro, para chegar longe na Copa do Brasil, veio para construir modelo, que John Textor lá atrás chamou de Botafogo Way. Esse cara tem know-how, sabe fazer, construiu no Porto, fez jogadores que trouxeram dinheiro, tornou quase hegemônico. Textor quer que esse cara o ensine a montar CT de primeiro mundo, a trabalhar organograma de e base metodologia para criar jogador e ser sustentável, não ter que assinar cheque para reforços a cada janela. O processo está só no início, ele é também treinador, o projeto é mais amplo. Não é essa sequência de resultados que vai fazer que Castro caia. O carro-chefe nunca foi a Copa do Brasil, tem que ser a manutenção tranquila no Brasileiro. Isso ele está conseguindo entregar. Se escora nos desfalques, é justo. Torcedor tem que ter calma e entender o projeto, o médio prazo. Está plantando coisas hoje que outros times plantaram lá atrás – opinou Henrique Fernandes.

Para o comentarista, Luís Castro sofre com a quantidade de desfalques, mas não está ameaçado no cargo.

– O torcedor não entende o processo, que ele não tem tantas escolhas, não tem o elenco à disposição. Trabalhou em janela restrita, os caras que trouxe de mais peso e estão a disposição são Cuesta e Tchê Tchê, Gustavo Sauer voltando, Victor Sá machucado. Não consegue treinar o Botafogo que foi montado para ele. Por isso aparenta insatisfação, mas se mostra compreensivo. Sabe que se ganhar do Flamengo de novo o torcedor vai para o lado dele. Ele tem total confiança da diretoria, o trabalho é muito mais amplo, o que não pode é cair. Se se mantiver, para o Textor está tudo bem, desde que continue ajudando fora de campo – explicou.

Fonte: Redação FogãoNET e SporTV

Notícias relacionadas