Comentarista vê projeto do Botafogo ‘mais amadurecido’ que do Cruzeiro e cita dívidas: ‘Valores nem assustam tanto assim o Textor’

13 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Comentarista vê projeto do Botafogo ‘mais amadurecido’ que do Cruzeiro e cita dívidas: ‘Valores nem assustam tanto assim o Textor’
Vitor Silva/Botafogo

Botafogo e Cruzeiro são os dois primeiros grandes clubes do Brasil a se transformar em SAF (Sociedade Anônima do Futebol). Enquanto no Alvinegro o clima é positivo, com a chegada do investidor americano John Textor, a Raposa passa por turbulência com Ronaldo Fenômeno. O comentarista Ubiratan Leal, da ESPN Brasil, vê o Glorioso à frente.

A impressão que se passa é que o projeto do Botafogo parece muito mais amadurecido que o do Cruzeiro. Em todos os sentidos. Dentro do clube e nas conversas com o investidor. O Botafogo discute a questão clube-empresa já há algum tempo. Vem um projeto desde 2019, 2020, esperava-se os irmãos Moreira Salles, cai, parece que não vai dar mais certo, Felipe Neto faz fio no Twitter, Montenegro diz que vai buscar investidor lá fora… Foi confuso, mas de qualquer forma a discussão estava rodando há um bom tempo. Isso criou um modelo mais amadurecido do que o Botafogo queria. Foi discutido por mais tempo, por mais gente e até pela torcida. Isso ajuda o debate – explicou Ubiratan.

No final das contas, o Botafogo apresenta um projeto com metas mais bem preestabelecidas que o Cruzeiro, mais claro como serão os investimentos, incluindo ainda cláusula de desempenho, exigindo investimentos reais por nível de competitividade, e criando uma espécie de fair-play financeiro interno, com reajuste na folha salarial de acordo com inflação ou 50% do faturamento do ano anterior. Assim, garante que vai ter investimento e ao mesmo tempo resguarda o clube de um aventureiro maluco. Tem o projeto muito mais bem desenhando, o que talvez tenha ajudado a atrair investidor como o John Textor – adicionou.

Para o comentarista, o Botafogo fez certo em arrumar a casa antes da transformação em SAF e terá como vantagem em relação ao Cruzeiro as receitas de Série A. Até a dívida, estimada em cerca de R$ 1 bilhão, não causa tanta preocupação.

Os valores para o Botafogo são altos, mas para ele (Textor), que fez a vida como empresário ganhando em dólar e agora fatura em libra no Crystal Palace, nem assustam tanto assim. Ele mesmo fala isso em entrevista na Globo. E ainda elogia a lei da SAF, dizendo que é muito favorável para os investidores. Ele conhece a história e a trajetória recente do Botafogo – disse Ubiratan.

– Achei um lado bom do Cruzeiro e do Botafogo não haver promessa de ser um super zilionário que vai transformar o clube do dia para a noite, um sheik que vai montar um supertime. É bom que não haja mesmo essa promessa. Se houver, desconfie. Textor parece querer fazer um investimento realista, passo a passo, recolocar o Botafogo onde esteve em grande parte da sua história porque é um dos melhores times da história do futebol brasileiro – completou.

Veja o vídeo:

Fonte: Redação FogãoNET e ESPN Brasil

Notícias relacionadas