Loco Abreu vê Botafogo no caminho certo e se emociona com carinho da torcida no estádio: ‘O que fiz para o pessoal ficar desse jeito?’

36 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Loco Abreu Botafogo TV
Reprodução/Botafogo TV

Ídolo alvinegro, Loco Abreu participou da transmissão da Botafogo TV neste domingo, no intervalo do jogo com o América-MG, emocionou a comentarista Júlia Camacho e agradeceu o carinho da torcida. O uruguaio vê o clube com um futuro promissor pela frente.

– Na verdade, fico com essa emoção. Bate no coração lembrar os momentos bons no clube e continuar com esse carinho do torcedor. Passa o tempo, mas parece que continuo jogando no Botafogo. Para mim, é especial. Nessa fase que a gente parou de jogar, muitas vezes fico querendo voltar nos lugares em que passei muito bem, porque tem esse vazio dentro. De querer voltar a jogar e mostrar esse sentimento dentro do campo. Na verdade, estou ficando feliz porque o Botafogo está no caminho certo. O torcedor é apaixonado, quer ganhar sempre, mas o caminho nesse momento é o caminho certo – disse Loco Abreu, que foi perguntado se sente saudade de atuar.

– Agora que paramos, vemos o jogo, as situações, dá vontade de entrar em campo, ajudar, fazer aquele gol bonito, aquele gol importante, ouvir aquele grito tradicional – acrescentou.

Loco Abreu acredita que o reconhecimento por parte da torcida é até maior do que merece.

– Sempre falo que, para mim, é demais. Onde vou, tem botafoguense, não importa a parte do mundo, me abraça, fica emocionado. O que fiz para o pessoal ficar desse jeito? Mesmo passando o tempo, o tempo vai apagando aquela luz, mas é como se eu estivesse jogando ainda. Ontem o carinho, na praia, me pedindo “volta”. Não tem como mais (risos), volto como torcedor. O mais importante é que meus filhos falam que os torcedores estão sempre pedindo por mim, para desfrutar, fico sempre com muita felicidade – pontuou.

O uruguaio, que iniciou a carreira como treinador, vê o Botafogo em boas mãos com a SAF.

– Precisávamos. Normalmente falamos da história do Botafogo, rica, importante, de jogadores de Copa do Mundo, mas precisava elevar o nível, ter estrutura para competir, não só um ano, em todas as competições e em alto nível. O caminho nesse momento, daqui a um, dois, quatro anos vai ser melhor ainda. E principalmente para o treinador ter condições de exigir um time dinâmico, competitivo e com intensidade. Precisava de estrutura com paz e harmonia. No CT que vi, há caminho para ficar em alto nível – declarou.

Fonte: Redação FogãoNET e Botafogo TV

Notícias relacionadas