Palmeiras no Allianz e Alemanha da Copa-2014: PVC e Pedrinho usam exemplos de projetos longos para reforçar confiança na SAF do Botafogo

40 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Palmeiras no Allianz e Alemanha da Copa-2014: PVC e Pedrinho usam exemplos de projetos longos para reforçar confiança na SAF do Botafogo
Reprodução/SporTV

A derrota do Botafogo para o Palmeiras por 4 a 0 e a sequência de quatro rodadas sem vitória deixou os torcedores do Glorioso, antes eufóricos com a chegada da SAF e do investimento de John Textor, agora preocupados. O projeto ainda está no começo, já que Luís Castro – representante maior dessa transformação – chegou apenas duas semanas antes do início do Brasileirão. Mas dois comentaristas do SporTV utilizaram exemplos distintos para pedir para a torcida seguir confiando no processo.

Paulo Vinícius Coelho, o PVC, citou o próprio Palmeiras como um “espelho” para o Botafogo, nos próximos anos, voltar a brigar por títulos e a ser um protagonista no futebol brasileiro. O Alviverde é o atual bicampeão da Libertadores e, com a goleada desta quinta, assumiu a liderança do Brasileiro.

– A torcida do Botafogo está numa pilha muito grande, desde a derrota para o Goiás. O Luís Castro disse que se os resultados não vierem ele pode ir embora…. O Botafogo é um princípio de um projeto. A SAF está para o Botafogo assim como o Allianz Parque está para o Palmeiras. Não estou dizendo que daqui a sete anos o Botafogo estará tão forte como o Palmeiras está hoje. Na inauguração do Allianz Parque, o Palmeiras perdeu para o Sport por 2 a 0 porque o time não era bom. Foi um ponto de partida. A SAF do Botafogo é um ponto de partida. Não tem o time ainda – observou PVC.

Pedrinho, outro comentarista na mesa, lembrou o processo de transformação da Alemanha até a conquista do título da Copa do Mundo de 2014.

– A Alemanha passou dez anos para ganhar a Copa de 2014, fazendo uma transição de modelo de jogo e elenco para ser campeão. Achamos lindo, mas só queremos o ano 10, não queremos passar pelos nove anteriores. É mais ou menos isso. O processo incomoda muitas coisas. A galera acha que é porque entrou a SAF que vai jogar como o Manchester City, que vai ser campeão no mesmo ano, que vai ter um estádio novo, e não é assim. É o início de uma construção – disse Pedrinho, continuando sua análise:

– Não vamos enganar o torcedor, jogar confete numa coisa que não está acontecendo. É um trabalho de construção, inclusive de jogo. O Botafogo não é agressivo no jogo, era para ter perdido para o Fortaleza, sofreu contra o Goiás… A expectativa do Botafogo hoje é fazer um bom campeonato, sustentar o que tem que sustentar, ir crescendo financeiramente, ir se estruturando como equipe para dali a dois, três anos ser um time competitivo, brigando por Libertadores, por título…

Fonte: Redação FogãoNET e SporTV

Notícias relacionadas