SAF, John Textor, clube social, esportes, CNDs, possível pagamento da dívida antes do prazo: vice do Botafogo abre o jogo

42 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Vinicius Assumpção - Botafogo - Acesso Total
Reprodução/Globoplay

Vice-presidente do Botafogo, Vinicius Assumpção abriu o jogo e esclareceu diversos assuntos em entrevista ao canal do Anderson Motta, no YouTube, nesta terça-feira. O dirigente explicou que a ideia do clube social é replicar o modelo de organização que possibilitou a SAF (Sociedade Anônima do Futebol) e investimentos.

O que tenho debatido no Conselho Diretor é que precisamos não perder a tocada. Implementar o mesmo modelo que aprendemos, que o Jorge Braga conduziu no processo como um todo para reorganizar e o Botafogo ser atrativo para o mercado. É o que temos que fazer no clube social e no olímpico. Temos sede administrativa que é superavitária, se colocar alugueis, manutenções e despesas. Mas a parte de esportes é deficitária. O que temos hoje é o remo. Estamos buscando escolinhas de futsal, natação, crescer a sede social. Precisamos buscar investimento, reorganizar internamente. É o que estamos buscando. Tem pessoas importantes vindo conosco para reorganizar. Agora o momento é delicado, quando faz a separação é muito trabalho ao mesmo tempo. Tem sido um desafio. Atrasamos a entrega do orçamento de 2022, está sendo entregue nesta terça-feira ao Conselho Fiscal e Conselho Deliberativo, mas foi tudo pela transição, para apresentar algo mais profissional e transparente. Não adianta ter esporte olímpico e ser deficitário. O Botafogo tem 10% da SAF, essa propriedade não pode ser colocada em risco se acumularmos dívidas. Isso tem que estar claro. Separou acabou? Não. Temos tarefa importante de reorganização para manter esses 10% e poder dar nossas opiniões, porque a decisão é de quem tem 90% – destacou Vinicius Assumpção.

Leia abaixo outros assuntos:

Agradecimento da torcida pela SAF

– Não tem essa de Vinicius, Durcesio (Mello), Jorge Braga. Tínhamos obrigação de fazer isso. Falei com Durcesio “ou vamos algo diferente do que já foi feito ou para que viemos para cá?” Fui para um evento em uma escola no Complexo do Alemão, perguntei quem era (torcedor do) America, ninguém, Bangu, ninguém, Fluminense, três, Botafogo, cinco, Vasco dez, até parei. Algo precisa ser feito ou a torcida vai morrer. Como faz a renovação? Apenas com os pais? Não, precisa ter força para conquistar títulos e ter ídolos. Não tinha outra opção a não ser vender os ativos do futebol. Entramos com esse objetivo. Eu só lembrava dessa cena. Algo precisava ser feito para termos guinada forte. É o que está acontecendo nesse exato momento, ainda é o início. Estamos conseguindo dar uma guinada nessa história do Botafogo.

CNDS

As CNDs vão sair. Mas não temos projeto incentivado, não é porque não temos CND. Precisa montar, apresentar. Hoje não temos. Precisamos ter na cabeça dar um passo à frente, buscar esses projetos, fazer parcerias para remo, vôlei, basquete. Como disputar NBB sem ter um projeto? Não pode ficar a dívida para o Botafogo. Que seja totalmente autossustentável, para terminarmos os próximos anos no azul, como foi em 2021. Isso é fluxo de processo interno, que precisa ser igual no clube social. Precisamos entender que tudo precisa ser pensado na forma de a receita vir na frente da despesa.

Pagamento das dívidas

– Tudo vem sendo feito e o repasse (da SAF) já é direto. Evita que façamos operação, é tudo bem feito, para que não haja dúvida que todo o dinheiro desse repasse é para o pagamento da dívida equacionada. No nosso escopo a dívida tributária também está dentro, apesar de a lei da SAF não tratar dela. Conseguimos incluir isso. Posso afirmar que todo o processo, pelos botafoguenses que participaram, foi muito bem cuidado para que possa proteger o tempo todo a marca do Botafogo. Eu acho que poderá ser inclusive, não quero afirmar isso, pela organização interna e descontos que conseguimos, que o Botafogo consiga pagar essa dívida antes do prazo de 10 anos, que é o total pela lei da SAF.

John Textor

– Vi que é uma pessoa que se apaixonou, claro que é um investidor, não quer perder dinheiro, mas não vê o Botafogo apenas como negócio. Ele falou para o Durcesio uma vez que quer ver o Botafogo olímpico forte também. O que ajuda a marca Botafogo. Se tiver campeão no basquete, no vôlei, um remo ganhando tudo, ajuda na SAF. Desde que seja feito deforma profissional e coerente. Espero que ele nos ajude, mas para isso tem que ser feito o trabalho que foi feito no futebol. Deixamos o clube muito ajeitado. Esse é o primeiro passo, reorganizar o clube, os esportes olímpicos, tornar transparente e a partir daí buscar investidores. Quem sabe ele ou outros, que possam nos ajudam a alavancar a marca Botafogo.

Veja o vídeo:

Fonte: Redação FogãoNET e canal do Anderson Motta

Notícias relacionadas