Demorou, mas ele enfim “estreou”. Com ótimas jogadas e muita velocidade, Leo Valencia sem dúvida foi um dos melhores em campo na excelente vitória do Botafogo sobre o Flamengo neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro. O chileno voltou com tudo da seleção e teve participação fundamental no clássico.

Valencia imprimiu muita velocidade pelos lados e colocou Roger em condição de marcar duas vezes somente no primeiro tempo – uma cabeçada e numa matada do camisa 9 que ele girou e chutou para fora. A batida de bola do chileno é realmente diferenciada, o que mostra recursos técnicos que poucos jogadores do nosso elenco tem.

No segundo tempo, participou dos dois gols do Botafogo: no primeiro, cobrou o escanteio que foi desviado por Igor Rabello antes de Roger aproveitar o rebote da trave. No segundo, dando o passe para Bruno Silva na direita cruzar para o nosso artilheiro vazar Diego Alves, aquele mesmo que é 50x mais badaldo do que Gatito e não defende 10% das bolas que o paraguaio pega.

Leo Valencia é cumprimentado pelos jogadores após o segundo gol (FOTO: Reprodução/Premiere)Leo Valencia é cumprimentado pelos jogadores após o segundo gol (FOTO: Reprodução/Premiere)

No dia 8 de agosto, escrevemos aqui mesmo neste Blog da Redação que a torcida precisava ter paciência com Leo Valencia, além da sempre necessária sequência de jogos e adaptação ao futebol brasileiro. Bola ele sabe jogar, isso ficou claro. E isso é o mais difícil. Pegar sequência e adaptação será a tarefa mais fácil, e pelo jeito não deve demorar muito. Ainda que precisamos ter calma, sem açodamentos.

Leo Valencia caiu muito bem pelos dois lados, e conseguiu jogar bem até porque Bruno Silva e Rodrigo Pimpão exerceram seu papel de marcação pela direita e pela esquerda com muita eficiência, mais uma vez. Assim, Valencia ficava sempre em boas condições de puxar os contra-ataques. Além da velocidade, a batida de bola dele, mais baixa, mais veloz, precisa, chama a atenção.

Jair Ventura - Botafogo x Flamengo (FOTO: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)A tranquilidade do olhar de quem ganhou uma ótima opção técnica (FOTO: Vítor Silva/SSPress)


Ah, mas por que não jogamos assim nas semifinais?
É o que muitos se perguntaram depois da vitória deste domingo. Nós escrevemos sobre isso aqui também, no último dia 30. Mesmo com os desfalques por lesão, Jair desta vez teve peças para fazer este jogo de transição rápida. Arnaldo foi peça importantíssima, além de Leo Valencia – ambos não-inscritos na Copa do Brasil por causa daquele regulamento absurdo.

E cabe ressaltar que Jair Ventura não teve muito tempo de trabalhar com Leo Valencia neste período, já que o chileno esteve com a sua seleção nestas semanas de Data Fifa. O trabalho de observação acabou sendo no clássico contra o Flamengo mesmo, e pelo jeito foi aprovado. Valencia pode ser titular contra o Grêmio, há chances de isso ocorrer. Confiemos, como sempre, no trabalho de Jair.

Fica aqui a pergunta para a galera: Valencia deve enfrentar o Grêmio? E quem é que sairia, caso todos fiquem à disposição? Sugestões nos comentários abaixo! 😎

Saudações alvinegras!