Alberto Valentim está perdido no comando do Botafogo. A escolha pelo treinador que deixou o Avaí na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro se mostra equivocada rodada após rodada. Ele não consegue fazer o time jogar bem. Aliás, não consegue fazer o time sequer ser organizado dentro das quatro linhas. E isso vai muito além de qualidade dos jogadores. Passa por conseguir transmitir ao plantel o que ele realmente deseja. Pelo visto nem ele mesmo sabe.

Contra o Santos isso ficou evidenciado pelas escolhas do comandante em escalar um time que sequer deve ter treinador, levando em consideração que havia perdido para o Cruzeiro na noite de quinta-feira. Aqui defendi na semana passada a necessidade de alterar o meio-de-campo e se impor diante de medalhões. Mas não da maneira que ele fez, sem nenhum critério. Pelo menos nenhum que fizesse algum sentido.

A discussão vai além da qualidade de Alberto Valentim

O Botafogo caminha a passos largos para entrar na zona de rebaixamento, o que só não aconteceu ainda por total incompetência de seus concorrentes. Mas até mesmo esses concorrentes, atrás na tabela de classificação, dão sinais de organização tática, o que aumenta o drama botafoguense. O elenco de fato é ruim. Mas existem piores.

A discussão aqui não passa pela qualidade de Alberto Valentim. O treinador já foi campeão pelo clube e tem alguns méritos. Porém, era o nome errado para este momento. O Botafogo precisa urgentemente de um nome mais experiente, que possa chegar em um vestiário e falar em tom alto com medalhões que não conseguem render. Casos, por exemplo, de Diego Souza e Cícero.

A diretoria do Botafogo não pode agir como um clube que só aposta em quem passou por lá. Ou um nome mais experiente é contratado ou todo o projeto para 2020 estará seriamente ameaçado.