A irritação de Honda ao ser substituído no jogo contra o Bangu é boa. Tem que ter vontade para jogar no Botafogo. E isso o japonês tem mostrado nos treinos e no tempo que esteve em campo que tem de sobra. O apoiador tem sido elogiado pelo exemplo de profissionalismo e pela maneira como se comporta nos treinamentos. E também com os companheiros no vestiário. Com certeza tem muito a acrescentar neste momento de reestruturação do Botafogo.

Honda vem de uma cultura que busca a perfeição. É do japonês tentar sempre o melhor. Ser disciplinado e acreditar que ele pode mudar as coisas. Ele vem de um país que se reconstruiu em várias ocasiões nas décadas passadas justamente porque seus habitantes não acreditaram que era impossível fazer um país bom de viver.

Irritação de Honda não é indisciplina

Cabe ao Botafogo saber lidar bem com essa irritação. É importante que isso não seja confundido com indisciplina. O jogador em nenhum momento se recusou a cumprir nenhuma determinação. Além disso, respeitou o treinador. Falo isso antes que comecem a plantar algum tipo de crise no clube, ainda mais em uma época em que as notícias ficaram escassas por conta da paralisação do futebol em todo o mundo devido a pandemia do Coronavírus.

Honda acreditou que poderia mudar a história do Bangu. Com certeza acredita que pode ajudar a fazer o Botafogo cada vez mais forte. Que o clube possa seguir esse exemplo em todos os seus setores e que os jogadores possam se espelhar no colega de elenco. Tem que ter vontade para jogar no Botafogo.