Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogo contra o Brusque vai definir pressa do Botafogo por técnico

17 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Jogo contra o Brusque vai definir pressa do Botafogo por técnico
Thiago Ribeiro/Botafogo

O Botafogo confirmou Ricardo Resende como técnico interino até que a diretoria encontre o substituto ideal para Marcelo Chamusca. Mas o resultado do jogo contra o Brusque, neste sábado, em Santa Catarina, vai definir a pressa que a diretoria terá na busca por este profissional. Além disso será levado em consideração o desempenho da equipe e a maneira como os jogadores vão se comportar.

Parte do grupo, a maioria, não recebeu bem a demissão de Chamusca. Alguns jopgadores diziam que o Botafogo estava em uma pontuação que permitiria a chegada ao G-4 quando ficasse mais equilibrada a relação entre jogos em casa e como visitante. Mas Chamusca caiu e não dá mais para recuar.

Os dirigentes entendem que se os jogadores responderem bem a Resende é possível esperar mais para definir o substituto. Apesar de ainda não se falar em efetivação. O Botafogo só pode contratar mais um treinador e se ele der errado terá que terminar a temporada com alguém de casa no comando do time.

Botafogo só tem um tiro para dar

Lisca - América-MG
Lisca não fechou com o Botafogo (Foto: Mourão Panda/América-MG)

Assim dar quilometragem a Resende significa apostar em um profissional da casa e ir queimando etapas, desde que com bons resultados, na maratona da Série B.

Lisca e Dorival não aceitaram o convite. Eduardo Baptista e treinadores estrangeiros têm resistências internas. Vanderlei Luxemburgo é fora da realidade do clube. Assim as poucas opções fizeram os dirigentes guardarem as armas até os próximos jogos.

Os que são contra a ideia alegam que o Botafogo parece nos últimos anos apostar sempre que pode repetir a fórmula vitoriosa que teve com Jair Ventura, treinador que assumiu o clube no meio do Brasileirão de 2016, tirou o time da área da degola e levou para a Libertadores. Mas depois disso o Botafogo fracassou com técnicos caseiros como Felipe Tigrão, Eduardo Barroca e Bruno Lazaroni. Mas a verdade é que não há nada muito diferente no mercado e o momento exige prudência.

Notícias relacionadas
Comentários