A primeira vitória do Botafogo sobre o Vasco no Estádio Nilton Santos foi em grande estilo. Ela aconteceu no dia 7 de agosto de 2011, durante o Campeonato Brasileiro. É esse duelo que o Quarentena Alvinegra vai lembrar. O Alvinegro vinha mal na competição. Tinha perdido para o Figueirense por 2 a 0 no meio de semana e precisava reagir. O cargo de Caio Júnior, que infelizmente morreu alguns anos depois no acidente da Chapecoense, estava a perigo. Entretanto, o dia foi de goleada.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

Os questionamentos ao trabalho de Caio Júnior eram explicados porque o time botafoguense estava longe de ser ruim. Jefferson era segurança no gol, com Antônio Carlos e Fábio Ferreira formando uma dupla de zaga confiável. Lucas e Cortez faziam um bom trabalho na lateral. Renato dava equilíbrio a um meio-de-campo que tinha Elkeson encostando na dupla de frente: Herrera e Loco Abreu. Entretanto, o time não vinha rendendo.

Se o Botafogo estava sem confiança, o Vasco vivia momento bem distinto. Estava invicto há seis jogos, bem no Campeonato Brasileiro. Além disso, o Cruz-Maltino era a base que conquistou a Copa do Brasil daquele ano. Porém, o Vasco não podia imaginar que o Botafogo naquele dia ia contar com um reforço extra: Zagallo.

Zagallo foi homenageado dando o primeiro toque na bola. Parte das comemorações dos 80 anos do Velho Lobo. Entretanto, ele não fez apenas isso. Zagallo não deixou de dar umas dicas para o famoso camisa 13 botafoguense: Loco Abreu. Além disso, Zagallo trouxe a tradicional sorte ao time. Mas isso a torcida só saberia com a bola rolando.

Vasco não conseguiu jogar

O Cruz-maltino era realmente forte. Entretanto, em campo o Vasco simplesmente não conseguiu jogar naquela noite. Caio Júnior deu um nó tático em Ricardo Gomes. Tanto que a vitória começou a ser desenhada aos nove minutos. Renato cobrou escanteio e Antônio Carlos, de cabeça, mandou a bola para o fundo da rede. Mas era só o começo.

O Vasco sentiu o golpe e o Botafogo mandava em campo. Conseguiu o segundo gol aos 27 minutos. Herrera recebeu passe após boa jogada de Cortez e chutou, o goleiro deu rebote, mas Loco Abreu empurrou para o fundo da rede. Mas ainda tinha emoção no primeiro tempo. Antes do intervalo o Botafogo definiu a vitória. Após confusão na área vascaína a bola procurou o artilheiro: Loco Abreu estufou a rede vascaína.

Diego Souza foi expulso

O segundo tempo foi marcado pelo Botafogo controlando as ações, mas diminuindo o ritmo. O Vasco tentava sem sucesso jogar. Tanto que seus destaques se irritaram em campo. Um exemplo disso foi a expulsão de Diego Souza após bater boca com o árbitro Marcelo de Lima Henrique. Mas não era assim que o Vasco empataria.

Quando tudo indicava que o placar ficaria nisso, Herrera transformou o triunfo em goleada aos 46 minutos. Ele recebeu na área e chutou sem chances para Fernando Prass.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 4 X 0 VASCO

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 7 de agosto de 2011 (Domingo)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Renda: R$ 605.880,00
Público: 26.283 pagantes
Cartões amarelos: Bruno Cortez e Elkeson (Botafogo) e Dedé, Jumar, Felipe e Diego Souza (Vasco)
Gols:
Botafogo: Antônio Carlos aos 9 e Loco Abreu aos 27 e aos 39 minutos do 1º tempo e Herrera aos 46 minutos do 2º tempo

BOTAFOGO: Jefferson, Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Bruno Cortez (Márcio Azevedo); Marcelo Mattos, Renato, Felipe Menezes (Lucas Zen) e Elkeson (Cidinho); Herrera e Loco Abreu. Técnico: Caio Júnior

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Anderson Martins e Márcio Careca (Juninho Pernambucano); Jumar, Rômulo, Felipe (Leandro) e Diego Souza; Eder Luís (Julinho) e Alecsandro. Técnico: Ricardo Gomes

Fonte: Redação FogãoNET