Se Athletico-PR e Bragantino podem… Botafogo entende que ordem do futebol brasileiro mudou

41 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Banner do Camisa 7 no banco de reservas do Estádio Nilton Santos do Botafogo
Twitter/Camisa 7

A nova ordem do futebol brasileiro mudou. E ela se tornou cada vez mais visível de dois anos para cá com o quadro de equipes que estão compondo as séries A, B e até a C do Campeonato Brasileiro. O Botafogo está ligado a essas mudanças e sabe que não vai conseguir se impor apenas com a força de sua camisa. Muito menos com a tradição de que tanto se orgulha. Esse é o pensamento que move o CEO Jorge Braga em suas tarefas diárias no clube.

A Série A hoje tem um monte de clubes que não tem nem uma raspinha da história do Botafogo. Entretanto que entenderam mais rapidamente a nova ordem do futebol brasileiro. O Red Bull Bragantino é o maior exemplo. Mas não é o único. Enquanto isso a Série B vai ter por mais um ano Vasco e Cruzeiro. Isso sem falar que a Tombense sobe para a B, enquanto que o Paysandu ficou na Terceirona. Além disso vimos o Santa Cruz ir para a Série D.

Com bem mais tradição do que o Bragantino, o Athletico Paranaense é outro que já colhe os frutos por ter percebido esta mudança a tempo. Vai para a sua segunda final de Copa Sul-Americana, com o Bragantino, e de Copa do Brasil em um curto espaço de tempo.

Camisa e tradição podem sim ajudar

Jorge Braga, CEO do Botafogo, em 2021
Jorge Braga, CEO do Botafogo, vem lutando para organizar o clube (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

O Botafogo assim se organiza para poder não perder o trem destas mudanças. Assim se posicionar nesta nova ordem. Mas se a tradição e a camisa não ganham nada sozinhas atualmente, podem sim ajudar. Pesariam para que os grandes clubes tenham mais força nesta organização.

Mas a certeza que temos é solitária: antes condenada por muitos a se apagar, a estrela do Novo Botafogo tem tudo para ser a mais brilhante na nova ordem do futebol brasileiro – disse Jorge Braga em um artigo em “O Globo”.

A frase do CEO está em sintonia com esta combinação: tradição, camisa, planejamento e profissionalização. Metas, objetivos, análise de desempenho são palavras que estão cada vez mais vivas neste novo Botafogo. Que não seja por pouco tempo. Que o futuro chegue o mais rapidamente para o Botafogo.

Notícias relacionadas