Sonhar ou sofrer? O que o calendário 2022 vai exigir do Botafogo

35 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Eduardo Freeland - Botafogo
Reprodução/Globoplay

A diretoria do Botafogo adotou uma fórmula que deu certo em 2021. Fez do Estadual um laboratório para ter um time forte para a Série B. A estratégia só não foi perfeita pois sacrificou a Copa do Brasil. Mas apesar do estrago o saldo foi positivo.

Mas o calendário de 2022 vai exigir alguns ajustes. Com as novas janelas a margem de erro diminui para o Estadual. Vai ser preciso ter um plantel em boas condições para o começo do Brasileirão.

O tempo é curto e com isso manter a base que interessa seria um grande negócio. Nomes como Gatito Fernández, Kanu, Joel Carli, Luis Oyama, Chay e Rafael Navarro já dariam um bom começo. Mas o Brasileirão exige bem mais.

O sucesso para o Campeonato Brasileiro vai depender da rapidez com que Eduardo Freeland terá recursos à disposição para trabalhar. Se for logo na janela inicial é possível pensar em coisas grandes. Mas se a grana chegar para a segunda janela, o sofrimento promete.

Notícias relacionadas