Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

25/04/21 às 00:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Macaé
MAC

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

1

X

0

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Mufarrej revela arrependimento ao deixar presidência do Botafogo: ‘Autonomia dada a algumas pessoas’

60 comentários

Boletim do C.E.

Boletim do C.E.

Compartilhe

Nelson Mufarrej, presidente do Botafogo entre 2018 e 2020
Vítor Silva/Botafogo

Insatisfeito, arrependido e despido de vaidades. É assim que Nelson Mufarrej afirma deixar a presidência do Botafogo nesta segunda-feira, 4 de janeiro, dia em que passa a gestão do clube a Durcesio Mello, eleito para o quadriênio 2021-2024.

O mandato de Mufarrej termina com a Botafogo S/A, o tão aguardado projeto do clube-empresa, sem sair do papel e o time profissional de futebol na penúltima colocação do Campeonato Brasileiro. Uma despedida triste e frustrante. Em entrevista exclusiva ao Boletim do C.E, Nelson disse que comandou o clube sob uma “asfixia” financeira que o atrapalhou na entrega de um Botafogo melhor. “Fiz o que estava ao meu alcance”, garantiu.

É óbvio que não deixo a presidência satisfeito com o resultado. Queria muito mais. Gerir sem recursos e sob uma asfixia diária de penhoras nos impediu de dar o salto de gestão que o Botafogo precisava. O modelo atual não se sustenta mais. No meio do mandato, ficou evidente que o melhor legado que eu poderia deixar seria a concretização da S/A. Fiz o que estava ao meu alcance nesse ponto. Abri o clube para profissionais competentes e pavimentei a estrutura para tocarem o projeto em escala de prioridade. Me despi de qualquer vaidade – declarou Mufarrej.

Há arrependimentos, porém sem mais polêmicas para o Botafogo

Questionado pela coluna do FogãoNET se nos três anos que liderou o Botafogo, de 2018 a 2020, houve algum arrependimento na tomada de decisões, Nelson Mufarrej respondeu que foram várias as vezes em que se lamentou, principalmente quando deu liberdade para “algumas pessoas” durante o período em que esteve à frente de General Severiano.

No entanto, no seu adeus ao cargo máximo do Botafogo, não quis entrar em polêmicas, o que de fato nunca fez parte do seu perfil como presidente, sempre discreto e conciliador.

Foram vários arrependimentos, especialmente pela autonomia dada a algumas pessoas. Mas prefiro guardá-los para mim ou tratar em ambiente privado, como sempre fiz. O Botafogo está saturado de polêmicas. Precisa é de soluções. Sem perder tempo – revelou.

Marco Agostini, Nelson Mufarrej, Ricardo Rotenberg e Carlos Augusto Montenegro | Comitê executivo de futebol do Botafogo 2020
Nomes como Marco Agostini, Ricardo Rotenberg e Carlos Augusto Montenegro integraram o comitê executivo de futebol de Mufarrej (centro) a partir do fim de 2019 (Foto: Carlos Eduardo Sangenetto/FogãoNET)

O sucessor de Carlos Eduardo Pereira (2015-2017) entrega o Botafogo com apenas dois títulos que realmente emocionaram e orgulharam o torcedor alvinegro, o Campeonato Carioca de 2018 e a Liga Sul-Americana de Basquete em 2019. Muito pouco para a grandeza do Glorioso, que merece muito mais.

Siga o @fogaonet no Instagram:

Fonte: Redação FogãoNET

Comentários