O fim do Mais Botafogo, grupo político do presidente Nelson Mufarrej, é visto como um grande estímulo para a captação de recursos no fim da temporada 2019. Ricardo Wagner, presidente do Conselho Fiscal, renunciou ao cargo na noite desta segunda-feira.

O Boletim do C.E apurou que a “implosão do MB”, expressão usada nos bastidores de General Severiano, não é necessariamente uma exigência dos cardeais que costumam a socorrer o clube, mas acredita-se que seja a solução ideal na incessante tentativa de pagar os salários do futebol, já que “falta crédito na praça” ao grupo que lidera o Botafogo. A equipe profissional tem 2 meses e meio de vencimentos atrasados.

Fonte: Redação FogãoNET