Apesar dos percalços, o Botafogo segue com chances de classificação para a Taça Libertadores, ainda que sejam de 47%. O histórico do sistema de pontos corridos, que iniciou em 2003 no Campeonato Brasileiro, mostra que em metade das edições disputadas até hoje há mudanças, entre a penúltima e a última rodada, nos times que conseguem esse objetivo.

Em 2003, 2005, 2007, 2009 e 2011 houve mudanças entre os classificados para a Libertadores depois dos resultados da última rodada. Este ano, Botafogo e Vitória são os clubes ainda com chances de fazer parte do grupo.

Uma das diferenças em relação a alguns anos é a ausência de confrontos diretos na última rodada entre os times na disputa. Em 2010, por exemplo, o Botafogo enfrentou o Grêmio e precisava da vitória no Olímpico para roubar a vaga do adversário. Acabou perdendo por 3 a 0.

Em 2011, seis clubes entraram na última rodada disputando as duas vagas restantes. Na ocasião, a  classificação foi até o quinto colocado, já que o Vasco, campeão da Copa do Brasil, estava entre os quatro primeiros. Houve apenas uma mudança, com a entrada do Internacional no lugar do Coritiba.

– Temos um grupo de personalidade. Vamos trabalhar com a cabeça erguida. Temos muito respeito por essa camisa que estamos vestindo e estaremos concentrados domingo para o Botafogo vencer – afirmou o zagueiro Bolívar.

Para o Botafogo, além de vencer o Criciúma, é preciso torcer por um tropeço do Goiás contra o Santos, no Serra Dourada, ou uma derrota do Atlético-PR para o Vasco, em Joinville-SC. Ainda assim, caso termine em quarto lugar, ainda terá que secar a Ponte Preta na final da Sul-Americana contra o Lanús, da Argentina, para o G-4 não virar G-3.

Fonte: Globoesporte.com