Extensa reportagem publicada nesta quarta-feira pelo site Globoesporte.com traz à tona o que pode ser um escândalo da gestão Mauricio Assumpção. Segundo a matéria, o Botafogo teria pego um empréstimo de R$ 3 milhões em contrato assinado no dia 1º de setembro e que previu pagamento de comissão de 10% (ou seja, R$ 300 mil) a César Reis, advogado que tem como um dos clientes Sidnei Loureiro, ex-gerente de futebol e amigo pessoal do agora ex-presidente. Além disso, César Reis é pai de Guilherme Reis, casado com Júlia Reis, filha do ex-técnico e agora auxiliar Eduardo Húngaro. O contrato foi assinado por Assumpção e Chico Fonseca, vice de finanças.

Os R$ 2,7 milhões foram depositados na conta da Companhia Botafogo no dia 17 de outubro, e a comissão de R$ 300 mil foi paga no mesmo dia para César Reis, que teria agido como intermediador da transação. O empréstimo foi feito por Marcus Vinicius Sanchez Secundino, pessoa física, que trabalha em conjunto com dois ex-membros do Grupo Sonda – Thiago Ferro e Fernando Garcia. Outro empréstimo de R$ 3 milhõs já havia sido feito em 2013, por Ferro e Garcia, sem pagamento de comissão ou intermediários.

O Conselho Fiscal do Botafogo vai pedir ao Conselho Diretor do clube e aos empresários envolvidos todos os comprovantes e contratos envolvidos na transação. Por e-mail, enviado no dia 21 de novembro, o Botafogo disse desconhecer César Reis:

“O Botafogo F.R. tem dois contratos distintos de empréstimo com a participação do Sr. Marcus Sanchez Secundino, um de 2013 e outro de 2014. O contato para a realização dos empréstimos foi o Sr. Thiago Ferro. O Botafogo desconhece o Sr. César Reis, cujo nome não consta na versão final do contrato, assinada pelo clube e por todos os envolvidos”.

A reportagem do Globoesporte.com traz detalhes e até trechos do suposto e polêmico contrato. Para ler, basta acessar http://globoesporte.globo.com/futebol/times/botafogo/noticia/2014/11/fim-de-gestao-no-botafogo-tem-emprestimo-com-comissao-misteriosa.html.

Fonte: Globoesporte.com