“O Botafogo tem que pensar gigante, o Botafogo é um gigante. Disso não abrimos mão.”

As palavras do vice-presidente de finanças e marketing e membro do conselho gestor do futebol do clube, Ricardo Rotenberg, mostram a mentalidade por trás das ideias em contratar nomes como Yaya Touré e John Obi Mikel.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

“Surgiu nos últimos dias críticas de alguns comentaristas, inclusive grandes ex-jogadores, como o Denilson e o Edmundo, em relação ao Botafogo, até a mim, o fato de o Botafogo estar em uma situação difícil. Como que o clube nesta situação, vai atrás destes jogadores?”, declarou o dirigente ao ESPN.com.br.

“Tenho respeito grande por eles, mas o que tenho a dizer é que não estamos enganando o torcedor. Trouxemos há quatro meses um grande jogador com três Copas do Mundo”, disse Rotenberg, citando o caso do japonês Keisuke Honda.

“Esses jogadores se pagam. O Honda já se pagou umas três, quatro vezes”, declarou. “O Botafogo não vai fazer loucuras, está fazendo contas do que esses jogadores vão trazer de receitas, do ganho no campo e do que é possível pagar”.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo | Cupom de 10% de desconto

Botafogo mantém contato com Yaya Touré e Obi Mikel

Segundo o dirigente, a ideia é contar com ou Yaya Touré ou Obi Mikel, sendo que a possibilidade de trazer os dois é muito pequena. A preferência é pelo marfinense, a quem faz muitos elogios, também na passagem pela China.

“Tem que ser ressaltado, quando surgiu o nome, a primeira coisa que fizemos foi saber como foi na última temporada, como foi na China. Quando traz o jogador que já tem uma certa idade, as pessoas perguntam dentro do clube. Pesquisamos e vimos que foi uma divulgação estrondosa e vimos que foi o craque do time, levando da segunda para a primeira divisão”, disse.

“As pessoas que estão intermediando mandaram uns 15, 20 minutos de vídeo de vários jogos dele na China, e ele jogando muito. Jogando igual ao que jogava no City? Não, pela idade dele, não. Pelo nível de futebol dele, ele, se jogar metade do que jogava no City, certamente será destaque no futuro Campeonato Brasileiro. Não contratamos o jogador baseado no que ele foi cinco anos atrás, procuramos contratar o jogador em cima de uma análise que foi feita no último ano dele.”

No momento, a situação está parada por conta da pandemia do coronavírus, mas Rotenberg conta que tem mantido contato com os agentes dos jogadores africanos. “De vez em quando mando mensagem ao agente dele. Mandei mensagem para ele agora na terça-feira, que foi aniversário dele. Me respondeu agradecendo muito”.

Vote na enquete abaixo:

Fonte: ESPN.com.br