INCRÍVEL! FOGÃO RECUA CEDE EMPATE NO ÚLTIMO LANCE

Compartilhe:

Se não foi brilhante na técnica, pelo menos teve deliciosos ingredientes presentes na imensa história do clássico: foi sofrido, suado, digno do retorno ao Maracanã de Flamengo e Botafogo após três anos de saudade. Elias, personagem do jogo, arrancou um empate nos acréscimos, na noite deste domingo. Levantou a cabeça mesmo com dois gols anulados e evitou que o Rubro-Negro entrasse na zona de rebaixamento mais uma vez. O Alvinegro, que saiu na frente com Rafael Marques, perdeu a chance de voltar à liderança.

Não demorou para que o amplo domínio do Botafogo aparecesse. Foram questão de minutos, na verdade. E, com a regularidade marcante do time de Oswaldo de Oliveira, foi assim até o fim da etapa. Encaixado na marcação e envolvente no toque de bola, o líder do Brasileirão não deu brecha ao apático Flamengo. Lodeiro e Rafael Marques criaram as primeiras chances. E foi do atacante o gol que abriu o placar: em jogada ensaiada, aos 21, Seedorf bateu falta da direita, e ele surgiu na altura da marca do pênati para completar de pé direito, surpreendendo a defesa.

Para se ter uma ideia do grau de dificuldade rubro-negra, até os 32 nenhuma finalização havia sido registrada. João Paulo inaugurou essa estatística, cobrando falta de longe, mas Jefferson pegou. O mapa da mina alvinegro era o lado direito. Em tabelas rápidas e contragolpes após roubadas de bola na intermediária rival, praticamente todas as oportunidades surgiram pelos pés de Gilberto, Seedorf, Rafael Marques e Lodeiro – este quando variava a posição.

O holandês do Botafogo, aliás, deu azar duas vezes e não foi capaz de levar uma vantagem maior para o intervalo. Em um dos chutes, com Felipe vendido, acertou o travessão, novamente de falta. Do outro lado, Gabriel e Carlos Eduardo não conseguiam manter a posse e municiar Moreno. Os dois foram muito criticados na saída de campo. E sobrou para Gabriel, sacado para a entrada de Adryan. Luiz Antônio também entrou, na vaga de Diego Silva, mal na cobertura.

Como se fosse outra partida, com outros times, o segundo tempo virou. Com fôlego renovado na marcação, a equipe de Mano Menezes se adiantou e assustou o Glorioso já no primeiro lance. Adryan fez boa jogada e deixou Marcelo Moreno livre para bater, mas Jefferson salvou. O ritmo do clássico no Maracanã caiu, mas ficou chamou a atenção a queda do conjunto do Botafogo, que não acertava mais quatro passes em sequência. Assim, a pressão foi inevitável.

A defesa alvinegra sofreu um apagão, e Adryan, que incendiou a partida, carimbou o travessão, aos 16, com uma bomba em lance que sobrou sozinho depois de desvio de Carlos Eduardo. A cena s repetiu em cinco minutos, só que, desta vez, Elias tocou para o fundoda rede no rebote. Impedido, teve o gol anulado. Não bastasse um, mais uma vez Jefferson foi vencido por Elias, mas a jogada não valeu também por posição irregular. No entanto, um desvio em Bolívar no caminho criou polêmica, e os jogadores reclamaram muito com a arbitragem.

Menos organizado, o Flamengo reduziu um pouco o ímpeto na reta final, apesar de sempre rondar a área. O Botafogo, acuado, não tinha o que fazer a não ser se segurar. Irreconhecível, contava com a sorte e com a grande atuação de seu goleiro em duas cabeçadas à queima-roupa. Mas os acréscimos foram longos. Cinco minutos por conta do atendimento justamente a Jefferson, que cortou a cabeça. E Elias se tornou definitivamente o personagem da noite ao empatar aos 49. Igualdade e festa da torcida rubro-negra, que saiu em êxtase de seu palco.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 x 1 BOTAFOGO

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 28/07/2013 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Luiz Claudio Regazone (RJ)
Renda e público: R$ 3.082.555,00 / 38.853 pagantes / 52.361 presentes
Cartões amarelos: Gabriel e Gilberto (BOT); Hernane e Elias (FLA)
Cartões vermelhos:
Gols: Rafael Marques 21’/1ºT (0-1) e Elias 49’/2ºT (1-1)

FLAMENGO: Felipe; Léo Moura, Wallace, González e João Paulo; Diego Silva (Luiz Antônio – Intervalo), Elias, Paulinho e Gabriel (Adryan – Intervalo) e Carlos Eduardo (Hernane 33’/2ºT); Marcelo Moreno – Técnico: Mano Menezes.

BOTAFOGO: Jefferson; Gilberto, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel (Antônio Carlos 48’/2ºT), Lodeiro (Lima 43’/2ºT), Vitinho (Renato 18’/2ºT) e Seedorf; Rafael Marques – Técnico: Oswaldo de Oliveira.



Fonte: Globoesporte.com (texto) e Lancenet! (ficha)
Comentários