Jobson foi absolvido de forma unânime em julgamento nesta quinta-feira no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Segundo o Pleno, a punição imposta pela Federação Saudita de Futebol em abril por doping foi realizada sob circunstâncias ilegais e não impedirá o atacante de defender o Botafogo. A novela, no entanto, está longe do fim.

Isso porque a Fifa ainda está colhendo informações sobre o caso e dará o parecer final sobre o caso. Ainda não há uma previsão de quando Jobson será julgado pela entidade máxima do futebol, mas a certeza é que isso não ocorrerá ainda em 2014. Os advogados responsáveis pelo caso do atacante estão otimistas.

“Estamos otimistas porque não acreditamos que a Fifa irá legitimará esse absurdo feito pela Federação Saudita. O Jobson se recusou a fazer um exame sob circunstâncias completamente questionáveis. Por esse motivo tenho confiança que ele seguirá livre para jogar futebol”, disse Bichara Neto.

Em abril, Jobson estava se desligando do Al-Itthihad por conta de problemas com o novo presidente árabe, que queria reduzir seu salário mesmo com o contrato vigente. A recusa do atacante gerou crise e ele foi afastado. Alguns dias depois, um suposto funcionário da Federação Saudita apareceu no hotel onde o jogador estava hospedado para um teste de doping surpresa.

Jobson achou a situação muito esquisita e se recusou a fazer o teste com um funcionário que não tinha um intérprete. Ele acabou suspenso pela federação local por quatro anos. A Fifa terá papel decisivo na carreira do atacante, que tem contrato com o Botafogo até junho de 2015.

Fonte: UOL