O futuro de Alberto Valentim no Botafogo está em xeque. Com parte da diretoria insatisfeita com o desempenho recente do time, o treinador passou a ter o trabalho questionado e não tem garantias que continuará no cargo. E os dois jogos do Alvinegro antes do recesso para Copa do Mundo, contra Bahia e Atlético-PR, serão decisivos.

A diretoria espera uma melhora considerável da equipe já na partida deste domingo contra o Bahia, em Salvador. Caso isso não ocorra, o duelo com o Atlético-PR, no Nilton Santos, na próxima quarta-feira, ganhará contornos de drama para o técnico Alberto Valentim.

Vale ressaltar que o treinador ainda conta com o apoio da cúpula do futebol, mas a pressão tem aumentado consideravelmente e uma reação é aguardada.

O argumento é que o Botafogo, com o próprio Valentim, já jogou um futebol bem superior ao apresentado diante de América-MG, Vitória e Ceará. Mesmo em triunfos diante de Vasco e Fluminense, o Alvinegro não teve boa apresentação – o próprio comandante admitiu isso em coletivas após esses jogos.

Com ou sem Valentim, o Botafogo vê o período sem jogos como fundamental para o time resolver os problemas internos e voltar a evoluir.

Grupo político nega pressão por demissão

“Algumas mídias noticiaram que o grupo MAIS BOTAFOGO tem pressionado o treinador alvinegro e questionado o trabalho do mesmo.

Nós do grupo MAIS BOTAFOGO, apoiamos o trabalho do treinador Alberto Valentim e também de toda a comissão técnica.

Temos total confiança no departamento de futebol, sabemos que o trabalho de todos os envolvidos é sério e merece a nossa confiança.

Somos MAIS BOTAFOGO, juntos somos mais fortes!”, disse nas redes sociais.

Fonte: UOL