Lodeiro e a emoção do Maraca: ‘Quero gol e jogar muita bola’

Compartilhe:

Uruguaio daqueles que não largam o chimarrão, Lodeiro será o jogador mais motivado no clássico deste domingo. Motivo? O orgulho que ele assim, como seus compatriotas, carrega da maior conquista da seleção Celeste: a Copa do Mundo de 1950.

Pisando pela primeira vez no palco daquela vitória gloriosa sobre o Brasil, ele buscará, a todo custo, fazer seu próprio Maracanazo, diante do Flamengo, inspirado na façanha de Obdulio Varela, Ganbetta, Máspoli Schiaffino, Ghiggia & Cia.

“Desde depois do jogo do Figueirense, só fico pensando nisso. Dirigindo o carro ou vendo televisão, já imaginei muita coisa. O mais importante é a vitória, mas eu quero fazer gol e jogar muito bola dentro do Maracanã, justamente para que fique marcado esse momento. Estou sonhando em fazer um, dois gols e ajudar o time”, contou Lodeiro em conversa com O DIA .

Lodeiro quer fazer um “Maracanazo” no Flamengo

Foto:  Carlos Moraes / Agência O Dia

Aos 24 anos, ele nem lembra mais quando foi a primeira vez que ouviu a história do fatídico Uruguai 2 x 1 Brasil. O feito é intrínseco ao futebol de seu país e, 63 anos depois, segue sendo lembrado a todo instante por lá.

“Toda pessoa que gosta de futebol sempre lembra. Meu pai, os amigos, os vizinhos, todos me contaram. Os uruguaios lembram em qualquer momento, não só quando a seleção vai jogar. Quando você está tomando chimarrão e começam a falar de futebol, esta história sempre é lembrada”, revela.

A oportunidade de estrear no Maracanã é tão importante para Lodeiro que ele fez questão de trazer toda a família ao estádio. O pai, que morreu em 2011, estará dentro do coração durante os 90 primeiros minutos do clássico.

“Pessoalmente, vou ficar emocionado quando entrar no Maracanã. Sei que meu pai, que não está mais comigo, iria desfrutar muito deste momento, então vou desfrutar por ele e minha família, que virá do Uruguai para ver o jogo. Acho que vai ser um momento muito legal para a minha carreira”, afirmou.

Outra lembrança que motiva ainda mais o uruguaio é a cavadinha do compatriota Loco Abreu, em 2010. Pelo Botafogo, o atacante marcou o gol do título do Carioca e hoje serve de inspiração.

“Quando eu cheguei, todo mundo falava disso. É uma história bacana. Um momento que para ele ficará marcado. Eu quero também ter minha história pessoal, o meu acontecimento no Maraca”, avisou Lodeiro.

Fonte: O Dia Online

Comentários