A desastrosa temporada de 2014 do Botafogo acaba oficialmente na semana que vem, mas as dores de cabeça continuam. A cada dia o Alvinegro descobre uma dívida. A mais nova descoberta é o atraso em parcelas da Timemania, que contabilizam R$ 1,3 milhão, sendo que, deste total, R$ 800 mil precisam ser quitados com urgência. Mais uma dor de cabeça, que se soma às duas parcelas do Refis (de cerca de R$ 4 milhões) e a dívida com o Vitória no caso Elkeson (de R$ 650 mil) — todas vencem também este ano. Uma crise que ajuda a entender como o time chegou ao fundo do poço dentro de campo.

O que é ruim pode piorar. O pagamento dos funcionários com carteira assinada — que tem sido garantido graças a uma ação do sindicato dos funcionários de clube — está ameaçado. Apesar de todas as receitas estarem bloqueadas, uma liminar autoriza que a verba da TV Globo seja usada para estas obrigações. Só que, agora, um credor obteve na Justiça o bloqueio desta verba. Como ainda não há solução para este impasse, a data para o pagamento referente a novembro virou uma incógnita.

Jogo em Brasília para pagar dívida

De todos os problemas, apenas um já está encaminhado. Para finalmente pagar ao Vitória sua parte como formador na transferência de Elkeson para o futebol chinês, a diretoria marcou o jogo contra o Atlético-MG, na próxima semana, para Brasília. A renda da partida será transferida diretamente para as contas do clube baiano. É no estádio que leva o nome de Garrincha que o clube encontrou a solução para não ser punido pela Fifa com a perda de seis pontos no Brasileiro do ano que vem.

Para as demais dívidas, o clube ainda corre atrás de recursos. Dinheiro virou artigo raro em General Severiano. Tanto que o clube já não consegue sequer dar conta dos compromissos com o plantel atual. O atraso nos direitos de imagem, por exemplo, chega a dez meses em alguns casos. Entre os atletas que aguardam pelo pagamento dessa dívida, estão Jefferson, Junior Cesar, Bollatti, Zeballos, Ferreyra, Marcelo Mattos, Gabriel e até o técnico Vagner Mancini. Isso sem contar com os jogadores que já não fazem mais parte do elenco, como Dória e Lucas.

Time mais barato em 2015

Para poder sentar e negociar caso a caso, a nova diretoria quer entender a situação de cada jogador. Mas, já em seus primeiros dias no clube, descobriu que até isso será uma tarefa árdua. Na tentativa de reunir o maior número de informações possíveis, descobriu conflitos nos dados referentes a contratos nos departamentos de futebol, financeiro e jurídico. O caos é pouco para explicar o conteúdo da caixa preta que se tornou o Botafogo. Por isso, uma auditoria externa será feita no clube, com previsão de início ainda neste ano.

De certo mesmo, apenas que as receitas em 2015 serão minguadas. Por isso, o clube terá que se desfazer da maioria dos jogadores para montar um elenco financeiramente compatível com a realidade. Para o Botafogo não afundar ainda mais, a barca precisa zarpar com muitos integrantes.

Fonte: Extra Online