Sócio do Grêmio entra na Justiça e pode cancelar Botafogo x Santos na Copa BR

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

O sócio do Grêmio e advogado Daniel Gomes Pereira se sentiu prejudicado com a exclusão do Grêmio da Copa do Brasil por determinação do STJD devido ao caso de atos racistas contra o goleiro Aranha, do Santos. Por isso, buscou seus direitos na Justiça Comum e entrou com uma ação cautelar nesta terça-feira pedindo o retorno do time gaúcho à competição.

O pedido foi protocolado na 16ª Vara Cível de Porto Alegre e tem como réus a CBF, o Botafogo e o Santos. Ainda nesta quarta a medida deve ser apreciada pelo juiz e pode ou não ser despachada. Depois disso o próximo passo é as partes serem intimadas.

“Eu me senti prejudicado como torcedor do Grêmio pela exclusão da Copa do Brasil. Já tivemos casos muito mais graves com penas muito mais brandas”, disse Daniel ao UOL Esporte.

Daniel argumentou que segundo o CBJD, o artigo em que o Grêmio foi incluso para exclusão, 243-G, trata de ato discriminatório, que é diferente de injúria, como ele avaliou o ocorrido com o camisa 1 do Santos na Arena.

“Este é o principal argumento. Não há tipificação de injúria racial no CBJD, e o artigo trata de ato discriminatório, que não foi o que aconteceu”, disse.

A ideia do torcedor é cancelar o jogo entre Botafogo e Santos, também citados no processo. Para isso, ele aguarda a sequência do trâmite jurídico.

“Não há maneira disso prejudicar o Grêmio. Eu não represento o clube, sou apenas sócio e um torcedor que se sentiu prejudicado”, afirmou. “No caso da violência entre torcedores no jogo entre Vasco e Atlético-PR no ano passado, por exemplo, o dano causado foi muito maior do que a injúria contra o Aranha, e a pena muito mais branda”, concluiu.

Enquanto isso, o Grêmio se prepara para o julgamento de recurso no Pleno do STJD. A ideia do departamento jurídico do clube é conseguir reverter a exclusão da Copa do Brasil aplicada em julgamento.

Notícias relacionadas