Depois da derrota para o Coritiba por 2 a 1, neste domingo, no Couto Pereira, os jogadores do Botafogo tiveram uma reunião no vestiário para tentar colocar os pingos nos is. E o tom foi elevado. A principal discussão foi se o fato de o time não ter feito um período de concentração maior para este importante jogo prejudicou o desempenho.

Uma das ideias de preparação para a partida era o elenco viajar para Curitiba na sexta e treinar na cidade no dia seguinte. Depois, a viagem foi confirmada para sábado e os jogadores ficariam concentrados desde sexta em General Severiano, o que não aconteceu a pedido de um grupo de jogadores. Os atletas só foram para a sede depois do treino de sábado para descansar antes do voo para a capital paranaense. 

Na discussão no vestiário em altos brados e ânimos exaltados, algumas lideranças defenderam que a preparação teria que ter sido feita de outra maneira. Não houve agressões.

Julio Cesar Botafogo x Coritiba (Foto: Joka Madruga / Agência Estado)
Julio Cesar tenta levar o Botafogo ao ataque no Couto Pereira (Foto: Joka Madruga / Agência Estado)

Na entrevista coletiva após a partida, o técnico Oswaldo de Oliveira foi perguntado sobre qual tinha sido o clima entre os jogadores depois da derrota. Ele disse todos estavam tristes, mas não entrou em detalhes.

– No vestiário todo mundo fala, mas é uma coisa nossa, não me permito falar o que foi conversado. O sentimento foi de tristeza. Temos que levantar o ânimo e partir para a próxima. Vamos exaurir até a última chance que tivermos – disse o treinador.

Dentro de campo, na ânsia de tentar ao menos o empate, os ânimos já começaram a ficar mais exaltados. Um exemplo foi a cobrança de falta desastrada já perto do fim. Depois de muita conversa e alguns xingamentos, o ensaio entre Lodeiro, Julio Cesar e Seedorf não saiu como o planejado e o time perdeu uma boa oportunidade (assista ao vídeo acima).

A equipe retoma as atividades na terça-feira e inicia a preparação para a última rodada do Brasileiro, domingo, contra o Criciúma. Em quinto lugar com 58 pontos, o Glorioso precisa vencer e torcer para que ou Atlético-PR ou Goiás não vença para terminar no G-4.

Fonte: Globoesporte.com