Cruzeiro, Atlético Mineiro e Flamengo já estão garantidos na fase de grupo da Copa Libertadores da América 2014. O Grêmio tem vaga, pelo menos, na Pré-Libertadores. Falta, agora, saber que outros dois brasileiros disputarão a competição continental.

Dos seis primeiros colocados no campeonato, três vieram da Série B. O que mostra que o abismo financeiro que hoje existe na divisão do dinheiro da TV ainda não causa o efeito que, fatalmente, causará nos próximos anos se nada mudar. Ainda é possível, com pouco dinheiro, mas com planejamento e profissionalismo, trabalhar bem e sonhar com coisas grandes.

Por outro lado, orçamentos milionários não servem para muita coisa se as contratações não forem corretas e a gestão não for bem feita. Corinthians, São Paulo, Internacional e Fluminense que o digam. Os quatro começaram o campeonato favoritos ao título ou, no mínimo, a brigar por vaga na Libertadores. E acabam a competição de forma melancólica. O São Paulo terminou o primeiro turno no Z-4 e flertou com o rebaixamento, enquanto Corinthians e Inter estão entre os quatro últimos do segundo turno. O Fluminense, atual campeão, tem um pé na Série B.

O Botafogo deu uma de “flanelinha”, como gostam de provocar os rivais. Guardou vaga durante quase a competição inteira, mas parece que não ficará com ela. Já não depende mais das próprias forças para isso. O Atlético Paranaense, que teve no poderio físico sua principal arma ao longo do ano, finalmente dá sinais de perder gás. O que passou com todos lá para setembro, outubro, aconteceu para o Furacão agora.

Ao Atlético, basta um empate para estar na Pré-Libertadores. Mas um empate rebaixa o Vasco, seu adversário da última rodada. Uma derrota possivelmente deixa o Furacão fora até do G-4. O jogo de Joinville promete ser o mais interessante do domingo.

Botafogo e Criciúma fazem outro duelo de busca por Libertadores versus busca pela salvação. Só uma vitória pode fazer o Botafogo voltar ao G-4. Mas o Criciúma, que não perde há seis partidas, precisa só de um empate para confirmar a improvável permanência na primeira divisão. No segundo turno, o Criciúma fez um ponto a mais do que o Botafogo até aqui (clique para ver a classificação do segundo turno).

Vitória e Goiás, que no segundo turno foram piores apenas do que o campeão Cruzeiro, têm tudo para ganhar seus jogos na rodada final contra rivais que já não jogam por nada no campeonato. Se o fizer, o Goiás acaba, no mínimo, em quarto. O Vitória precisa de uma combinação mais complexa.

Veja as possibilidades de Libertadores para cada time:

GRÊMIO (64 pontos, 18 vitórias, saldo de +7)
Último jogo: Portuguesa (fora)
O que precisa: um empate basta para garantir o vice-campeonato e a vaga direta na Libertadores. A Portuguesa está praticamente salva, mas ainda necessita um empate para estar matematicamente. O torcedor luso não gosta do Grêmio e guarda a ferida do jogo do primeiro turno. Resta saber se os jogadores carregarão este sentimento para o campo ou se haverá aquele empatezinho que serve para os dois no Canindé. Se perder, o Grêmio terá de torcer contra o Atlético-PR, senão será terceiro.

ATLÉTICO-PR (61 pontos, 17 vitórias, saldo de +12)
Último jogo: Vasco (em Joinville)
O que precisa: se vencer e o Grêmio perder, será vice-campeão e terá a vaga direta na Libertadores. Um empate basta para garantir a terceira posição e a vaga na Pré-Libertadores. Se perder do Vasco (que precisa ganhar para ficar na Série A), o Atlético-PR só fica em terceiro caso Goiás e Botafogo não vençam. Se um deles vencer e o outro não, o Furacão acaba em quarto e fica na torcida contra a Ponte Preta na final da Sul-Americana. Só que se o Atlético-PR perder e Goiás e Botafogo vencerem, acabará em quinto lugar e estará fora da Libertadores.

GOIÁS (59 pontos, 16 vitórias, saldo de +7)
Último jogo: Santos (casa)
O que precisa: se vencer seu jogo e o Atlético-PR perder o dele, o Goiás acaba em terceiro lugar e vai à Pré-Libertadores. Se vencer o Atlético ao menos empatar, o Goiás acaba em quarto e fica à espera do que fará a Ponte Preta na Sul-Americana. Se não ganhar do Santos, o Goiás só acaba em quarto caso Botafogo e Vitória façam resultados iguais ou piores do que o dele.

BOTAFOGO (58 pontos, 16 vitórias, saldo de +11)
Último jogo: Criciúma (casa)
O que precisa: para acabar em terceiro e ir à Pré-Libertadores, tem de derrotar o Criciúma no Maracanã e torcer por derrota do Atlético-PR e empate ou derrota do Goiás. Caso o Botafogo vença, mas só um destes dois tropece, acabará em quarto lugar e dependerá da Ponte. Em caso de empate contra o Criciúma, que precisa de um ponto para a permanência, o Botafogo só acabará em quarto caso o Goiás perca do Santos e o Vitória não vença o Atlético-MG.

VITÓRIA (58 pontos, 16 vitórias, saldo de +6)
Último jogo: Atlético-MG (fora)
O que precisa: com o orçamento que tem, chegando da segunda divisão, o Vitória fez um campeonato espetacular. Chegou a entrar na briga contra o rebaixamento, mas com a contratação de Ney Franco se recuperou e fez 35 pontos no returno, os mesmos do Cruzeiro. Terminar em terceiro e ir à Pré-Libertadores é possível na matemática, mas não na prática, pela diferença de gols em relação ao Atlético-MG. Para acabar em quarto lugar, tem de ganhar do Santos e torcer para que Goiás e Botafogo não vençam seus jogos. Neste caso, dependeria da Ponte na Sul-Americana para entrar ou não na maior competição do continente em 2014.

Fonte: Blog do Júlio Gomes - UOL