A possibilidade de virar empresa e ter um grupo de investidores colocando dinheiro para reforçar o elenco para a próxima temporada parecem estar paralisando o departamento de futebol do Botafogo. Isso porque as renovações de contrato dos jogadores com vínculo somente até o fim do ano não estão caminhando. Outrora considerado uma prioridade, por exemplo, o atacante Rodrigo Pimpão já foi avisado que nem sequer deve permanecer no plantel.

Mas ele não é o único nesta condição. Nomes como o lateral-esquerdo Gilson e os volantes Alan Santos e Jean continuam na mesma situação, assim como os jogadores que estão emprestados a outros clubes, caso dos laterais Victor Lindenberg e Arnaldo, do volante Fernandes e dos atacantes Renan Gorne e Kieza.

A única exceção é mesmo o goleiro Diego Cavalieri. O jogador conta com a confiança de todos no clube e os dirigentes entendem que não se pode perder a possibilidade de renovar vínculo com um arqueiro de grande nome e que não se incomoda com a condição de reserva, mesmo sendo um dos que mais se empenha durante os treinamentos.

Diego Cavalieri tem 36 anos e já foi procurado pelos dirigentes em conversas preliminares e viu com bons olhos a possibilidade de o contrato ser ampliado por mais um ano. As negociações devem avançar na próxima semana.

Cavalieri, por sinal, será o goleiro titular no próximo jogo do Botafogo, neste domingo, às 16h (de Brasília), contra o Atlético-MG no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ), pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Isso porque o paraguaio Gatito Fernández está defendendo a seleção em amistosos internacionais. O time para este duelo será definido no treino desta sexta-feira à tarde.

Fonte: Gazeta Esportiva