Na última quinta-feira (30), o comitê gestor de futebol do Botafogo se reuniu para planejar o retorno das férias coletivas. Após conversas com membros do departamento médico e o técnico Paulo Autuori ficou definida a reapresentação nesta segunda-feira (04), no sistema home training. Os atletas vão realizar atividades de forma online, através de uma plataforma digital considerada de fácil manuseio. O preparador físico Felipe Capella explicou à reportagem da Super Rádio Tupi como foi elaborado o planejamento durante a semana.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

“A gente vai fazer nesta segunda uma reunião online pela manhã com todos os atletas, comissão e outros departamentos. O objetivo é passar a eles a nossa ideia visando o cenário atual. Na quarta-feira vamos fazer o primeiro treino online. Na sexta-feira a gente faria o segundo treino. Nessa primeira semana pensamos em uma situação mais progressiva, até para entender como que vão funcionar essas sessões de treinos de maneira virtual. No fim da semana a comissão se reúne novamente para ver o que teve de positivo e negativo, fazer os ajustes e ver como a gente vai conduzir na próxima semana. Vai ser uma questão mais dia a dia para a gente ir identificando e conseguir desenhar melhor os cenários” explicou Capella.

Monitoramento dos jogadores será novidade

Os trabalhos terão acompanhamento direto da comissão técnica. Capella lembra que esse primeiro período também será importante avaliar como os jogadores vão se comportar na utilização da ferramenta tecnológica de trabalho.

“O trabalho será ministrado pela preparação física e membros da comissão técnica estarão acompanhando todas as sessões de treinos. Querendo ou não é um contato online, mas você consegue ver como está o grupo em geral. Obviamente, agora com esse período de pandemia as sessões de treinos online tiveram um crescimento. Vai ser a primeira vez que eu vou ministrar e acredito que para a maioria dos profissionais que trabalham com o futebol também. Diante disso a gente pensou em três encontros nessa semana para ver o que vai dar certo, e qual atleta vai conseguir acessar a ferramenta” revelou.

O preparador físico explicou que inicialmente os treinos serão de forma coletiva. Além disso, cada jogador vai receber tarefas a serem realizadas individualmente.

“No primeiro momento vai ser uma situação coletiva. A gente pensa em fazer o grupo como um todo, e se achar que não ficou tão bom vamos dividir em dois grupos de atletas para conduzir melhor as sessões de treinos online. O treino em si será coletivo. As ações individuais nós vamos mandar para cada atleta para eles fazerem em casa” disse.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo

Questionário para os atletas

Durante a pandemia do novo coronavírus, os jogadores buscaram manter a forma física da maneira como foi possível realizar. Felipe Capella afirma que uma planilha com questionamentos foi montada pela comissão técnica para entender melhor como cada um se reapresentou.

“A gente definiu um questionário. Departamento médico, nutrição, psicologia e preparação física montaram perguntas para saber como os atletas se encontram, como conduziram os 49 dias completados neste domingo sem nenhuma atividade no clube. Na preparação física, por exemplo, vai ter uma pergunta de quantas sessões de treinos eles conseguiram realizar, quais os tipos de treinos fizeram entre cardio, força e técnico, como eles estão em relação ao peso, se conseguiram treinar somente em casa ou tiveram acesso a algum parque ou estúdio. Queremos identificar como cada atleta se comportou nesse período. Em um primeiro momento foi um recesso. Depois encararam as férias”

“A gente vai pensar sempre em minimizar as perdas. O ganho com certeza vai ser gerado, mas a gente não vai poder trabalhar com eles em alta intensidade. Os estudos e artigos que estão saindo agora apontam que o treino de alta intensidade gera um risco de baixar a imunidade e pode estar abrindo uma janela de contaminação. Seria totalmente arriscado gerar treinos assim. Pensando em frequência cardíaca a gente vai trabalhar com eles num teto de 80%. Todos vão ganhar uma cartilha também para estarem complementando esse trabalho. Vai existir o treino online, mas os atletas terão uma espécie de dever de casa com os treinos complementares que irão receber para minimizar as perdas das capacidades físicas. De boa a paralisação não teve nada. Queríamos estar trabalhando e não passando por essa situação. O tempo de inatividade é extremamente longo. Vamos retornar muito fora da realidade do que é uma situação de um treino normal. Posso te afirmar que não tivemos ganho nenhum, só perda com essa paralisação”.

Nova “pré-temporada”

No início de 2020, o Botafogo teve de maneira oficial dez dias de trabalhos no China Park, em Domingos Martins, Região Serrana do Espírito Santo, até a estreia no Campeonato Estadual contra o Volta Redonda. Para preparar melhor o time titular, o clube decidiu alongar os treinamentos do considerado grupo principal e disputar as duas primeiras rodadas do Carioca com uma equipe muito jovem. Capella ressalta que um período de 15 dias já estaria de bom tamanho para voltar a jogar, ciente que o calendário brasileiro não suporta muito tempo de preparação.

“Trinta dias é um cenário maravilhoso, mas nunca vi isso. O que eu vi, se não me engano, foi em 2016 na pré-temporada do China Park, quando Ricardo Gomes era o treinador nós tivemos 26 dias de preparação. O que for disponibilizado perto de trinta dias é melhor pra gente. Se fizerem quinze dias vamos ter que trabalhar dessa maneira. Na pré-temporada nós tivemos oficialmente. A primeira rodada do Campeonato Carioca foi no décimo-primeiro dia. Dividimos o grupo e conseguimos ganhar mais alguns dias. Com 15 dias já teríamos 50% em relação ao início do ano” concluiu.

Fonte: Super Rádio Tupi