Botafogo usa espinha dorsal da base no segundo jogo seguido

Compartilhe:

Pelo segundo jogo seguido, o Botafogo vai escalar no time titular quatro jogadores oriundos de suas categorias de base. Contra o Figueirense, nesta quarta-feira, em Florianópolis, pela Copa do Brasil, o lateral-direito Gilberto, o zagueiro Dória, o volante Gabriel e o meia Vitinho vão formar uma espinha dorsal rara no futebol brasileiro, como já aconteceu contra o Náutico no sábado passado, pelo Campeonato Brasileiro.

Para efeito de comparação, o Flamengo não contava com jogador algum oriundo de suas categorias de base na derrota por 1 a 0 para o Inter na rodada passada do Campeonato Brasileiro. No clássico entre Fluminense e Vasco, os dois times somavam apenas três revelações – e ainda assim Jomar só jogou por uma virose de Renato Silva, vetado na última hora. Os outros dois foram os tricolores Digão e Marcos Junior.

Aos 32 anos, o zagueiro Bolívar vê muitas qualidades nos jovens promovidos aos profissionais. Gilberto foi o último a ganhar uma chance, após a lesão no tornozelo de Lucas, que ficará cerca de três meses fora. Além do quarteto, o clube já negociou neste ano o volante Jadson – outro que chegou a assumir uma posição no time – com o Udinese, da Itália.

– Estou rodeado de jovens. De um lado o Gilberto, do outro Dória, e na minha frente o Gabriel, que é o nosso cão de guarda. Esse meninos, apesar da pouca idade, já apresentam muita personalidade como característica. Só quem tem a ganhar com isso é o Botafogo. Em cada setor do time, tem pelo menos um jovem. A fórmula está dando certo, e espero que eles possam continuar ajudando – comentou Bolívar.

Os quatro da base, em algum momento, participaram da conquista do Campeonato Carioca de 2011 e atuaram juntos em outras competições, inclusive nacionais. No total, são 16 jogadores das categorias de base no elenco entre os 35 à disposição do técnico Oswaldo de Oliveira.

– Assim é bem mais fácil. Subir com meus companheiros tem sido tranquilo, mas o grupo é muito bom, fui bem recebido e sempre deixa a gente bem à vontade – afirmou Gilberto, de 20 anos e com apenas dez jogos como profissional do Botafogo.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários