O comentarista de arbitragem da TV Globo Sálvio Spínola Fagundes Filho discordou do pênalti a favor do Ceará assinalado pelo árbitro Luiz Flávio de Oliveira, que determinou o empate com o Botafogo em 1 a 1 neste domingo, no Estádio Nilton Santos, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O juiz assinalou toque no braço do lateral-direito Marcinho, após rever o lance no monitor do VAR.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo | Cupom de 10% de desconto

– Na hora em que o Thiago Galhardo tenta fazer o lançamento, o Marcinho já ocupa o espaço. Ele não tenta fazer o bloqueio, a bola toca na perna e depois no cotovelo que ele está querendo recolher, querendo falar para o árbitro que não queria bloquear a passagem da bola. Ela acidentalmente bate, com o braço colocado. É um lance de interpretação, mas eu não interpreto como pênalti – analisou Sálvio, completando sem seguida:

– O Marcio Henrique de Gois, árbitro de vídeo, recomendou a revisão, o Luiz Flávio olhou no monitor e considerou como um bloqueio. Não gosto de toda mão ter que marcar (falta). É um lance bem interpretativo, mas eu não marcaria esse pênalti. Esse toque (na perna) desconfigura bastante (o pênalti). Não marcaria nem se a bola fosse direto no braço. Tocando na coxa primeiro então, aí que não se deve marcar mesmo.

Mesmo se o pênalti não tivesse sido marcado e o Botafogo tivesse vencido o Ceará, o Glorioso não conseguiria a vaga na próxima Copa Sul-Americana devido à vitória do Fluminense sobre o Corinthians por 2 a 1, em São Paulo.

Fonte: Redação FogãoNET